̀ esq., Juana veste saia e blusa de chamoix Magrella e botas Alaïa. À dir., Cleuza usa chemise e camisa de seda e calça de couro, tudo Magrella. Sandálias Gucci e joias de seu acervo pessoal - Foto: Deco Cury
̀ esq., Juana veste saia e blusa de chamoix Magrella e botas Alaïa. À dir., Cleuza usa chemise e camisa de seda e calça de couro, tudo Magrella. Sandálias Gucci e joias de seu acervo pessoal – Foto: Deco Cury

Por Luigi Torre e Ligia Carvalhosa

Juana e Cleuza Ferreira – Magrella
“Nasci nesse meio, sempre trabalhei com ela nas férias escolares”, conta Juana Ferreira. Oficialmente, são 11 anos ao lado de Cleuza, sua mãe e fundadora da Magrella, ícone do luxo em Brasília.“Não temos uma divisão de trabalho estabelecida, porque nossas atividades do dia a dia se complementam.” Em 2013, quando lançaram marca própria, Juana, com o irmão, Fabrício, se dedica mais à curadoria, planejamento e direção da marca própria da Magrella, enquanto Cleuza, garante uma visão geral do negócio, coordenando a multimarcas.“Temos uma supersintonia. Nós nos complementamos”, finaliza Juana.

Da esq. para a dir., Adriana usa vestido de tricô Egrey e tênis Adidas; Eduardo veste look de seu acervo pessoal; e Eloisa usa trench coat, camiseta, calça e botas de couro Egrey - Foto Deco Cury
Da esq. para a dir., Adriana usa vestido de tricô Egrey e tênis Adidas; Eduardo veste look de seu acervo pessoal; e Eloisa usa trench coat, camiseta, calça e botas de couro Egrey – Foto Deco Cury

Adriana, Eduardo e Eloisa Toldi – Egrey
“Foi ela quem me ensinou tudo, trabalhamos juntos desde os meus 15 anos”, conta Eduardo Toldi sobre sua mãe, Eloisa Toldi. O primeiro contato de Dudu com a moda aconteceu na confecção dela. Foi lá também, depois de uma breve carreira no mercado financeiro, que nasceu a Egrey, marca que comanda hoje ao lado da matriarca (responsável pelo private label) e da irmã, Adriana Toldi (comercial). Sobre trabalhar em família,o economista feito estilista conta que há dores e delícias. “É preciso saber separar bem o lado pessoal do profissional. Mas, como somos todos muito próximos, há um entendimento de visão e uma sintonia de ideias que não têm preço.”

À esq., Candy Brown veste camisa e saia de jacquard Candy Brown e sandálias Prada. À dir., Giulia usa vestido de veludo e sandálias Candy Brown - Foto: Deco Cury
À esq., Candy Brown veste camisa e saia de jacquard Candy Brown e sandálias Prada. À dir., Giulia usa vestido de veludo e sandálias Candy Brown – Foto: Deco Cury

Candy Brown e Giulia Altério – Candy Brown
“Nós duas somos librianas, então somos obcecadas pelo belo”, diz Giulia Altério.“Acredito que estilo tem muito a ver com herança, então meu gosto tem muito do dela.” Ela, no caso, é Candy Brown, mãe e fundadora do ateliê de moda festa e sob medida que leva seu nome. Há cinco anos, as duas juntaram forças para lançar a Candy, label de prêt-à-porter que agora se funde à marca da matriarca.“A ideia é justamente combinar todo o conhecimento dela com minha visão jovem.”

Em sentido horário, Carolina usa camisa de seda, calça estampada e sandálias, tudo Mixed. Riccy veste camisa de seda e calça de alfaiataria Mixed e joias de seu acervo pessoal. Ciccy usa vestido Mixed e sandálias Alexandre Birman - Foto Deco Cury
Em sentido horário, Carolina usa camisa de seda, calça estampada e sandálias, tudo Mixed. Riccy veste camisa de seda e calça de alfaiataria Mixed e joias de seu acervo pessoal. Ciccy usa vestido Mixed e sandálias Alexandre Birman – Foto Deco Cury

Carolina Porto, Ciccy Halpern e Ricy Souza Aranha – Mixed
Faz 20 anos que Carolina Porto trabalha ao lado da mãe, Riccy Souza Aranha. Ciccy Halpern, sua irmã mais nova, há dez. Juntas, são elas que comandam o estilo e muito mais na Mixed, marca paulista com lugar cativo no closet das brasileiras de fino trato.“Personificamos a ideia do ‘uma por todas e todas por uma’, já que a divisão é de acordo com o dia”, diz Carol. “ Temos muita sorte de estarmos sempre juntas. Minha mãe nos ensina, todos os dias, a sermos guerreiras, tem uma força e alegria profunda em viver a vida, seja no trabalho ou no lado pessoal”, completa Ciccy.