Por Sylvain Justum

Nem toda moda prática e comercial precisa ser banal. Eduardo Pombal tem a receita e a aplica muito bem no verão da Tufi Duek.

Texturas e mix de materiais dominam looks de pegada esportiva, nos quais parkas levíssimas – feitas de tule e bem combinadas com saias volumosas –  e coletes bordados dividem espaço com delicadas jaquetas de alma perfecto.

Nestas, laise e organza  dialogam em branco e amarelo vivo, fazendo par com as calças cigarrete, que servem de base também para as volumosas blusas-nuvem.

Proporção semelhante à dos ruffles, que arrematam saias, tops e os delicados vestidos construídos com folhas de organza e desfiados no acabamento, deliciosos na cartela composta de roxos, cerejas e coral.

No fundo, é roupa prática, para trabalhar e badalar com estilo. O pulo do gato está na precisa associação de tecidos, ora orgânicos, ora super tecnológicos, como as franjas finíssimas plastificadas.

Nos pés, mais esporte: escarpins com amarração de tênis no tornozelo, com cadarço de algodão.

O melhor look: A parka verde militar de Drielly Oliveira, feita de tule e combinada com saia evasê, onde uma camada de ráfia se sobrepõe a outra de franjas de plástico.

O tropeço: a passarela ondulada dificultou a vida das modelos, que, equilibradas em stilettos, titubearam mais de uma vez para completar o circuito imposto pela marca.