Fotos: Fotosite

Por Sylvain Justum

A inspiração esotérica da Espaço Fashion pretendia explorar a crença sobre sorte, fortuna e destino, mas, se abstrairmos a influência fantasiosa do cosmos e da mitologia grega citada no release, o saldo é uma coleção coesa, de formas, prints e materiais em boa sintonia com a moda global.

Estão lá as formas boxy nos tops e coletes alongados, a influência esportiva – nas mangas raglan, couro furadinho e blusas de neoprene à la moletom deluxe, de shape maximizado -, o revival 90 no xadrez grunge das saias longas e vestidinhos míni, o quadriculado optical – por vezes bordado de plaquinhas de metal quase ciganas – e as estampas espelhadas e fragmentadas, aqui inspiradas em cartas de tarô. Ah! Tem top cropped também. Formas fluidas e desabadas conduzem o desfile, do início dark em total black ao final ultra estampado. Destaque para os acessórios em metal envelhecido, como a pulseira articulada que sobe até o cotovelo e o brinco híbrido e pontiagudo que contorna o lóbulo da orelha.

Coleção visualmente forte, que a gente torce para que chegue às araras, mas que incorpora tantos elementos vistos em outras passarelas que acaba por não construir sua própria identidade.

Fotos: Fotosite


Quero já
: os “moletons” de shape mullet maximizado e prints espelhados, como o de Mariana Coldebella, usado com calça levinha em xadrez marrom e azul.

Beleza: clean e chic, com boca saudável e leve esfumado no olho. Os cabelos emplastrado foram ótima moldura.