Giuliana Romanno - Foto: Divulgação
Giuliana Romanno – Foto: Divulgação

A RELAÇÃO da brasileira com a moda praia tem um quê de casamento de muito tempo: mesmo quando a convivência é boa, as surpresas já são raras. Modelagens repetitivas, estampas pouco surpreendentes e modismos que se repetem vitrine a vitrine são regra – e funcionam para boa parte das consumidoras. Mas não para todas. Há quem espere um trabalho de modelagem mais elaborado e uma identidade de estilo marcante para pensar em investir em um novo enxoval praiano. E são essas consumidoras que algumas grifes de moda casual esperam conquistar – levando para as roupas de praia o que faz sucesso em suas coleções regulares.

A estilista Giuliana Romanno apresentou uma linha de beachwear pela segunda vez, nesta última temporada de lançamentos de Verão. O estilo da coleção não segue o padrão de moda praia que se vê comumente pelas vitrines brasileiras. É bem mais elaborado.“As peças acompanham a modelagem  da coleção de roupas”, conta Giuliana, que empregou estampas clássicas em tecidos especiais. “Os maiôs e biquínis têm um shape mais estruturado, com acabamento de lingerie e brilho sutil”, diz a estilista. O tecido feito de seda e Lyocel foi um dos escolhidos para a parte de camisaria, vestidos e calças com amarração. O material tem o caimento e o toque da seda, mas fácil manutenção, coisa importante quando se trata de peças que vão para a praia. A coleção para o AltoVerão 2018 de Giuliana foi lançada em parceria com a Teçume – marca social iniciada pela ONG Casa do Rio, que tem por objetivo empoderar artesãs de populações ribeirinhas.“Esse foi um projeto que nasceu no SPFW e que tem parte da renda revertida a essas mulheres”, afirma a estilista.“É uma coleção com a cara do Brasil, mas com a identidade da minha marca.”

Ronaldo Fraga - Foto: Divulgação
Ronaldo Fraga – Foto: Divulgação

Em sua primeira incursão pelo beachwear, o estilista mineiro Ronaldo Fraga aproveitou o aspecto democrático do cenário praiano para discutir a diversidade da beleza. O projeto, que nasceu como um licenciamento para a marca Silvia Shaeffer, agora será permanente. A coleção deVerão 2018 tem inspiração vintage, mas com peças feitas a partir de técnicas avançadas, onde a costura é substituída por uma fusão de materiais.“Isso traz conforto, melhor acabamento e precisão na modelagem”,explica o estilista.

Patbo - Foto: Divulgação
Patbo – Foto: Divulgação

Patricia Bonaldi mostrou no Verão 2018 da PatBo sua visão da tropicalidade brasileira, com uma passarela que mesclava o clima de resort au naturel, com bordados sofisticados, na semana de moda paulistana. Uma mistura que somente uma estilista que não veio do universo praiano – muito pelo contrário – seria capaz de executar com excelência. Para muitos, o olhar de Patricia teve um quê surrealista, para além do ar declaradamente vintage – que inclui chapéus assinados pela Tula Casqueteria e modelagens muito comportadas para a realidade do litoral brasileiro.

Cris Barros - Foto: Divulgação
Cris Barros – Foto: Divulgação

Já a incursão de Cris Barros pelo universo do beachwear, com a linha S.O.L (Summer of Love), tem como pretensão “explorar a essência do Brasil, incorporando seus valores culturais, históricos e estéticos”. Na coleção, bodies, maiôs e biquínis são acompanhados de blusas, calças, saias, quimonos e macacões de tecidos leves, como algodão, linho e seda. Entre os acessórios,destacam-se mocassins,sandálias e chinelos de couro. A cartela traz tons neutros e crus, como a cor do bambu e da cerâmica. Para chegar a esse resultado, a estilista centrou a sua pesquisa no trabalho de arquitetos como Lúcio Costa, Rino Levi e Paulo Mendes da Rocha, além do artista e paisagista Roberto Burle Marx.

No lugar de reproduzir os elementos da moda praia já consagrados, a intenção da grife é estender para o ambiente praiano a mesma identidade da linha principal que leva a assinatura Cris Barros. Para tanto, o mood urbano foi transportado para o clima resort, com estampas e modelagens exclusivas. Mesmo sendo peças pensadas como moda praia, tops e calças pantalonas, quando combinados a outros elementos do guarda-roupa casual, formam um conjunto que se sai bem em vários ambientes. Portanto, o resultado final é uma coleção capaz de transitar nas areias com elegância, mas também fora delas, em um convite para ousadias que vão muito além do manjado combo biquíni, canga e chinelo.