Victoria Beckham – Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

A roupa íntima está presente na vida da mulher há muitas décadas, se adaptando ao momento histórico e às conquistas femininas. Tanto o tecido, quanto a modelagem dessas peças, mudou de maneira considerável com o passar dos anos, com versões que acertavam ou aumentavam o busto, uso de arame para marcar diferentes partes da silhueta e até opções consideradas andróginas e menos restritivas.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Um aspecto que causou grandes mudanças nos modelos de roupas íntimas foram os processos de emancipação feminina, diminuindo o peso social dessas peças e permitindo que as mulheres tivessem mais liberdade na escolha dos itens, adaptando-os para que fossem confortáveis durante a rotina de trabalho e a realização das obrigações pessoais.

Uma movimentação do tipo aconteceu durante as décadas de 60 e 70, com as lingeries menos justas e leves, assim como o surgimento das saias curtas e da popularização da meia calça. Não somente na moda, a revolução impactou outros aspectos da existência da mulher, como no setor profissional, com uma maior inserção no mercado de trabalho e até na vida sexual, com a comercialização da pílula anticoncepcional.

Graças à essa evolução social, as peças íntimas, que antes deveriam ficar completamente escondidas, hoje podem fazer parte das composições do dia a dia de maneira estilosa e criativa. Cada vez mais, é possível incluir bodies com aplicações diferentes, sutiãs rendados e outras peças do tipo em looks para ocasiões mais informais ou festas. As lingeries e peças íntimas vintages, por exemplo, ficam lindas quando combinadas com elementos mais pesados, sendo uma ótima opção para quem não tem medo de arriscar na hora de decidir a roupa.

Uma das peças retrôs mais populares hoje em dia é o body, que ganhou características modernas e atualmente aparece em vários materiais diferentes. Para quem gosta de usar peças de estilo vintage, o body é uma ótima alternativa, já que ele pode ser encontrado em cores pastéis, modelagem mais discreta e alças largas – tudo para tornar a peça mais confortável.

Para montar o look, combine o body com uma calça jeans e um blazer de alfaiataria, que ajudam a balancear a peça chamativa com outras consideradas mais formais.

Para quem quer investir em looks com transparência, os sutiãs vintages são uma boa alternativa para complementar a sobreposição, indo bem por baixo de peças leves e de tule. Dependendo da época de origem do sutiã, existem modelos com uma boa estrutura para sustentação, assim como outros sem arame, confortáveis para diferentes tipos de mulheres.

Também é possível incluir a lingerie vintage de maneira mais discreta. A cinta-liga, por exemplo, pode ser uma grande aliada de quem quer mais segurança na hora de usar uma meia calça ¾ ou ⅞, evitando que a meia saia do lugar durante o dia. Para quem procura calcinhas mais confortáveis, os modelos hot pants – tipo de calcinha mais alta – foram muito populares nos anos 1950 e podem ser encontrados em lojas de roupas vintage, além de serem um tipo de peça muito charmosa.