Relógio de bolso da coleção de Émile Hermès - Foto: Cibele Maciet
Relógio de bolso da coleção de Émile Hermès – Foto: Cibele Maciet

Por Cibele Maciet

Flanar, do francês flâner, palavra criada no século XIX para designar a atividade literária e inebriante de andar sem rumo, perambular, passear sem destino: esse é o tema da exposição da Hermès Dans l’oeil du flâneur, que começou na última sexta-feira (18.09) em Paris, nos Berges de Seine. O local, nas margens do rio, é propicio ao exercido da divagação: por ali, entre joggers, turistas que passeiam de mãos dadas e esportistas em bicicleta, circulam milhares de passantes por dia. “O sentido dessa mostra é praticar essa atividade, muito parisiense, de flanar e divagar, e, dessa forma, encontrar objetos inesperados e emoções que nos levam longe, até mesmo a algumas intuições”, define Pierre-Alexis Dumas, diretor artístico da maison.

Um elefante que não quebrou a porcelana na expo da Hermès “Dans l’oeil du flâneur” - Foto: Cibele Maciet
Um elefante que não quebrou a porcelana na expo da Hermès “Dans l’oeil du flâneur” – Foto: Cibele Maciet

Nas onze salas da exposição, divididas em temas como “La garde-robe” (O guarda-roupa), “Après la pluie” (Depois da chuva), “Le passage couvert” (A passagem coberta, que reproduz a clássica Passage Vivienne, na capital francesa), “Voyeur”, entre outras, podemos encontrar objetos da coleção de Émile Hermès, neto do fundador da marca, Thierry Hermès, como uma bengala – objeto essencial da flanêrie – com três cabeças de cavalo, um guarda-chuva forrado de penas, relógios de bolso, entre outras preciosidades.  Na “Le café des objetos perdus” (Café dos objetos perdidos), podemos até vislumbrar uma peça da coleção esquecida Sputnik de Pierre Hardy – não muito apreciada pela maison – , além de xícaras com fundo animado por uma bailarina em movimento ou olhos que piscam ao espectador.

Ao que tudo indica, a mostra de Paris repetirá o sucesso de Londres, cidade por onde passou anteriormente: em apenas três semanas, ela somou 110 mil visitantes. Os próximos destinos serão Shangai e Seoul, no próximo ano.

 

 

 

+ Dans loeil du flâneur
De 18 de setembro a 5 de outubro de 2015
Paris Rive Gauche, nas Berges de Seine – Port de Solferino (entre a Passerelle L.S. Senghor  e a Pont de la Concorde)
Entrada gratuita das 11h às 19h, noturnas às quintas-feiras até às 22h
É recomendado reservar antes pelo site