Ferrari, ready-to-wear – Foto: Divulgação

Por Diogo Rufino Machado

A icônica italiana fabricante de carros de luxo Ferrari mudou as pistas. A montadora acaba de apresentar ao mundo sua primeira coleção de roupas.

O desfile aconteceu em um restaurante em Maranello, norte da Itália, local conhecido muito mais pelas porcelanas do que pelas roupas.

A coleção foi assinada por Rocco Iannone, ex-Dolce & Gabbana e Giorgio Armani, que afirmou apostar na tendência sem gênero. “Os carros não têm sexo, e estas roupas também não”, pontuou.

A cartela de cores não poderia ser outra: amarelo e vermelho predominantes. Ao passo que o símbolo da Ferrari é o mesmo utilizado de 1940 a 1960, sendo extraído do próprio acervo da empresa. O design das peças é ergonômico como dos automóveis e os materiais são de alto desempenho e com acabamento técnico. Iannone mostrou uma coleção volumosa, com casacos grossos e vestuário esportivo, sendo o tecido predominante o nylon leve.

Ferrari, ready-to-wear – Foto: Divulgação

O primeiro desfile da escuderia foi um espetáculo, com a presença de personagens importantes como os pilotos Charles Leclerc e Carlos Sainz; o diretor esportivo Mattia Binotto; o presidente da Camera Moda Carlo Capasa; o empresário Federico Marchetti e o chef Massimo Bottura, que assina o cardápio do novo restaurante da marca. O casting também foi poderoso, com Mariacarla Boscono abrindo o espetáculo e Natalia Vodianova para fechar.

As roupas desfiladas já estavam à venda logo após o show, tanto no próprio website da Ferrari quanto na LuisaViaRoma, a famosa loja Florentine que ostenta a butique online hippest italiana, além da própria loja física da Ferrari.

A Ferrari continua a vender alguns produtos licenciados (tais como ténis Puma, óculos Ray Ban e conjuntos Lego, mesmo que não sejam um artigo de luxo), mas o seu cliente-alvo de vestuário é o hipster da moda em Los Angeles, Miami, Milão ou Dubai. E é aí que a marca planeia abrir as suas novas lojas nos próximos dois anos.

Agora, fica a pergunta: será que os clientes fashionistas vão migrar para roupas feitas por uma empresa de carros?

Veja looks na galeria: