Por Luigi Torre

O verão 2016 de  Giambattista Valli  é continuação de seu inverno. Os anos 1970, então, continuam como a referência da vez, influenciando das estampas e bordados (ora psicodélicos, ora geométricos), as formas esvoaçantes e comprimentos míni. Com sandálias gladiadoras, os vestidos babydoll seguem como peça-chave, mas se antes vinham combinados com calças de corte reto, agora vem sore nada além das próprias pernas. O estilo, aliás, tem se mostrado recorrente não só no seu prêt-à-porter, mas também em sua couture e na Giamba. Aqui, então, chega equilibrando um pouco das duas extremidades: a facilidade para o dia a dia da marca mais jovem e o trabalho minucioso de acabamento e construção da alta-costura.