Gigi veste jaqueta e calça Ralph Lauren, lenço Donni e sapatos Tom Ford - Foto: Mariano Vivianco
Gigi veste jaqueta e calça Ralph Lauren, lenço Donni e sapatos Tom Ford – Foto: Mariano Vivianco

Gigi Hadid tem 22 anos e um currículo poderoso. Ela foi eleita modelo do ano em 2016 pelo British Fashion Council, já faz sucesso como estilista graças a sua parceria com a Tommy Hilfiger, e é uma potência no Instagram, somando 39,3 milhões de seguidores em seu perfil.

 

Mas a californiana e insta-top já sofreu bullying cibernético. Em 2015, seu nome ganhou a imprensa internacional depois da repercussão da notícia de que ela teria sido cortada de desfiles por estar acima do peso. Nas redes sociais, ela recebeu várias críticas de haters, e não hesitou em responder: “tenho orgulho de ser sexy”, disse na ocasião.

 

Gigi usa jaqueta, saia, capa, luva, colar e sapato da Chanel, e meias Wolford - Foto - Mariano Vivianco
Gigi usa jaqueta, saia, capa, luva, colar e sapato da Chanel, e meias Wolford – Foto – Mariano Vivianco

Para maio de 2018, ela foi eleita cover-girl da edição norte-americana da Bazaar, que acaba de sair do forno. Em entrevista comandada pela atriz Blake Lively, Gigi avalia o que aprendeu com a difícil situação que enfrentou. “Muito do que foi dito não tinha sentido, mas ainda dói. Hoje, as pessoas falam ‘eu amava o corpo da Gigi, agora ela se rendeu aos padrões’. Mas não estou magra porque me rendi à indústria. Quando tinha uma silhueta mais atlética, era orgulhosa do meu corpo, pois jogava vôlei e andava muito bem a cavalo. Porém, depois que descobri que era portadora de Hashimoto [uma doença autoimune], eu precisei mudar minha alimentação e minha rotina de exercícios”, diz.
Leia também:
Gigi Hadid mostra como a nova geração de modelos pode aumentar a venda de grifes

Gigi usa jaqueta, saia, capa, luva, colar e sapato da Chanel, e meias Wolford - Foto - Mariano Vivianco
Gigi usa jaqueta, saia, capa, luva, colar e sapato da Chanel, e meias Wolford – Foto – Mariano Vivianco

E o que ela sente falta do antigo corpo? “Se pudesse escolher, teria meu bumbum de volta, além dos seios daquele tempo. Mas, sinceramente, não me arrependo de nada. Amava meu corpo naquela época, e amo meu corpo agora”, defende.

 

“Acho muito importante que os jovens não se comparem com as imagens que são divulgadas online. O trabalho de atores e modelo inclui estar sempre em forma. Temos acesso a academias, treinadores e comidas feitas sob medida. Sem contar que, em 99,9% do tempo, nossas imagens passam pelo Photoshop”, alerta.