givenchy
Um vestido de alta-costura da Givenchy, verão 2016 – Foto: reprodução Instagram

Por Giuliana Mesquita

Riccardo Tisci criou grandes expectativas para seu verão 2016. Se mudou de Paris para Nova York, convidou Marina Abramovic para dirigir o desfile, comemorou seus dez anos frente à Givenchy. Mesmo assim, conseguiu criar um sonho que supriu essas expectativas. Em um pier que tem vista para onde ficava o World Trade Center — outra inspiração clara de seu show –, a marca desfilou ready-to-wear, alta-costura e as coleções femininas e masculinas juntas, o que diz muito sobre essa coleção. Desde a carta de Marina distribuída antes do show até as declarações do estilista, a mensagem é clara: quebrar barreiras. Barreiras entre moda de rua e alta costura, barreiras entre masculino e feminino, barreiras entre sagrado e profano. Algo que Tisci já vem fazendo há um tempo na Givenchy, mas que ficou ainda mais claro neste verão. O desfile era sobre amor e família, algo que o estilista fala bem — e sempre. Essa é sua religião. Sua “gangue” é uma das mais famosas do Instagram e do mundo da moda. Repare que sua amiga e grande musa Mariacarla Boscono sempre abre suas apresentações. Sem exceção.

O clima pesado que o dia traz à memória dos americanos e do resto do mundo influencia o primeiro bloco branco da coleção, que simboliza paz, nascimento, recomeço, limpeza. É possível também fazer uma relação com os dez anos do estilista na marca, de como a moda sempre se renova. Tema recorrente nas peças, que traziam detalhes de todas as coleções de Tisci na Givenchy até agora, tudo reinterpretado. As maxibijoux, as máscaras de pedras coladas no rosto, a renda vitoriana, o loungewear, as penas da alta-costura, a alfaiataria reforçada como um dos pontos mais importantes de Tisci. Uma grande homenagem à sua história. Uma mensagem de amor mesmo em tempos difíceis.

Veja as fotos do desfile: