Lenço Hermès de seda: Carré Couture - Foto: reprodução
Lenço Hermès de seda: Carré Couture – Foto: reprodução

Quando a Hermès cria um lenço para uma causa filantrópica, pode se ter a certeza de que vai ser bem especial. A grife francesa e a Panthera, uma organização global de conservação de felinos selvagens (fundada em 2006 por Tom Kaplan e sua esposa, Daphne Recanati Kaplan), uniram forças para honrar o trabalho do artista Robert Dallet, que retrata a vida desses animais. A ideia é aumentar a consciência sobre a existência e importância de felinos como o tigre, leão, jaguar, leopardo da neve, leopardo, chita, puma e o leopardo.

A iniciativa inclui a abertura da exposição Firce and Fragile: Big Cats, no The Bruce Museum, em Greenwich, Connecticut. Entre os dias 10 de janeiro e 13 de março de 2016, a mostra reúne 75 das pinturas, desenhos e esboços de Dallet.

Além disso, a Hermès criou seis objetos artesanais one of a kind que serão leiloados pela Sotheby’s durante um jantar de gala nessa próxima sexta-feira (08.01). Parte da renda será voltada para a iniciativa do artista chamada Wild Cat Conservation.

Usando os desenhos originais de Dallet como referência, oito artistas trabalharam para criar as estampas que foram aplicadas sobre a sarja de seda do ateliê da Hermès em Lyon, na França. Para desenvolver a gravura do projeto, foram necessárias 1.400 horas de trabalho manual. Na sequência de sua impressão, o lenço foi bordado à mão com cristais, esmeraldas e pérolas. O resultado é um item que está à venda por US$ 48,000 (cerca de R$ 193 mil).