Foto: Divulgação

Era janeiro quando Paola Vilas entrou no mar, em Ilhabela, litoral paulista, e um peixe saltou na sua frente e voou. “Fiquei em um estado de confusão mental. Foi marcante”, conta ele, por telefone, do Rio. Sua primeira experiência diante de um peixe-voador foi tão forte que inspirou a nova coleção.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Famosa pelas joias pensadas como obras de arte, a joalheira uniu a leveza do peixe ao sonho e crenças limitadoras para formatar a inspiração para as peças.

Foto: Divulgação

Foi assim que Paola escreveu um conto, batizado de “O Sonho”, que funciona como fio condutor para a coleção, que inclui brincos, anéis, colares e pulseiras. Segundo ela, o texto pode ser visto como símbolo da necessidade urgente de transformação individual e coletiva por meio da imaginação. “Levando-nos ao extremo do universo lúdico, buscando soluções criativas para o nosso cotidiano.” O peixe-voador, na sua opinião, traz esse simbolismo.

Foto: Divulgação

Além da imagem do peixinho, Paola emoldurou partes do corpo humano em no longo brinco articulado. É o resultado de seu questionamento sobre os limites entre arte e design. “Quem define isso?”, questiona. Em função da pandemia, ela posa pela primeira vez para mostrar as peças. As fotos, feitas no seu ateliê pelo fotógrafo Lucas Sant’Ana. Veja mais imagens na galeria: