Fotos: Agência Fotosite
Fotos: Agência Fotosite

Por Ligia Carvalhosa

A crítica social, tão cara as coleções de Ronaldo Fraga, é mais uma vez o fio condutor de seu desfile, que abre seu inverno ao som de Geni e o Zepelin, clássico manifesto de Chico Buarque contra a ditadura militar.

As torres de concreto e o opressor mundo das metrópoles aparecem nas peças estruturadas e afastadas do corpo, em tons de cinza colorido, entre pontos de vermelho – o sangue, nas palavras do próprio criador.

Em contraposição, vestidos fluidos, com canutilhos, babados, transparências e renda. Os tricôs de papel manifestam, por si só, este jogo de contrastes – leves e rígidos. Apagado o vermelho curumim que tingiu a pele de cada uma das modelos, a imagem agrada, e muito.

Clique em nossa galeria para ver looks selecionados da passarela do estilista, em desfile realizado nesta quarta-feira (05.011), na temporada de inverno 2015 do SPFW: