Julia Debasse – Foto: Divulgação

A partir das camisas da nova coleção, Karina Mondini, da Tela, fez uma ação aproximando moda e arte em tempos de quarentena. A estilista convidou as artistas Taty Takasse, Eveline Sin, Julia Debasse e a performer e produtora cultural Isis Vergilio, que também são mães, para usarem as peças enviadas para suas casas como telas para um manifesto particular. O resultado está em registros feitos pelas quatros em suas casas.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

“Fiquei pensando que todas as minhas roupas de ‘pintar’ acabam se transformando em paletas dos meus processos no ateliê. No tecido que visto limpo pincéis, mãos e, às vezes, borrões”, disse Julia em sua conta no Instagram, acrescentando que usou a camisa durante alguns dias para deixar as marcas que queria. “Não gosto quando as pessoas dizem que a roupa ou mesmo a pele está ‘suja’ de tinta. Tinta não é sujeira. Não está suja, está pintada”, diverte-se.

Taty Takasse – Foto: Divulgação

Já Taty escolheu bordados para fazer uma reflexão sobre o Dia das Mães em tempos de quarentena. “Ser mãe foi a coisa mais desafiadora da minha vida. E ainda é. A maternidade me escolheu. Não fui criada para ser mãe e nunca passou pela minha cabeça que seria o guia e referência de outro ser humano”, diz ela.

Eveline Sin – Foto: Divulgação

Eveline Sin também decidiu bordar sua camisa, na ausência de tinta óleo em casa. O resultado foi o poema que, segundo ela, também é um recadinho: “Esqueça poetisa / feminino de poeta é paetê”.

Isis Vergilio – Foto: Divulgação

“Pensei muito neste momento que estamos vivendo, de mais silêncio que palavras, de cuidado, reflexões sobre o tudo e sobre o mundo, tentando nos manter lúcidos”, afirma Isis sobre o vídeo-performance feito com a ajuda do namorado, o fotógrafo Christian Braga. “São 54 segundos de muito respira, solta e alonga, renovando o que está dentro”, explica.

Segundo Karina, a ideia foi entrelaçar sentimentos comuns a todas as mães, como coragem, força, paciência e amor através de um item bastante importante no repertório da Tela, a camisa. “Faz parte do DNA da marca promover esses intercâmbios colaborativos”, reforça a estilista.