Kevin Carrigan - Foto: divulgação
Kevin Carrigan – Foto: divulgação

Por Paula Jacob

Kevin Carrigan, diretor criativo global da Calvin Klein Platinum Label, Calvin Klein White Label, Calvin Klein Jeans e Calvin Klein Underwear, desembarcou no Brasil para celebrar a festa Nocturne, que acontece nesta quinta-feira (06.11) e no Hospital Matarazzo.

Em bate-papo com a Bazaar, Kevin ressalta a mudança no estilo das mulheres, principalmente na brasileira. Além de nos contar as ótimas novidades da marca para o próximo ano e sua paixão pela tendência normcore.

Harper’s Bazaar – Como você vê a Calvin Klein Jeans hoje?
Kevin Carrigan – A Calvin Klein Jeans traz a jovialidade fresh n’ cool, inspirada no street fashion com um toque atlético, característico da marca. Celebramos atualmente essa tendência normcore, onde a mulher se veste de maneira simples, sem deixar de ser sexy ou bonita. Desde abril, que foi uma das últimas vezes que visitei o Brasil, até agora, eu percebi uma grande diferença no jeito que a brasileira passou a se vestir. Vocês aqui incorporaram bem a história do “menos é mais”, trazendo a essência dos looks de rua para o dia-dia, de forma confortável e descolada. O jeans nessa história entra como protagonista, e a partir disso temos um momento excelente para a marca no Brasil e no mundo.

Campanha da Calvin Klein - Foto: divulgação
Campanha da Calvin Klein – Foto: divulgação

HB – E como você vê essa mudança na mulher?
KC – Eu acho incrível, porque passou a ser mais pelo conforto e funcionalidade do que qualquer outra coisa. A preocupação fica mais na silhueta, que aparece mais ampla, nos tecidos, nos detalhes dos sapatos e bolsas, mais uma vez, sem deixar de ser sexy. Somos uma marca sexy, então é um momento maravilhoso, porque quando desenvolvo as peças da Calvin Klein Jeans e White Label, por exemplo, sempre foco na tecnologia dos tecidos, no shape que tenha um caimento perfeito para cada tipo de corpo. Então temos os dois lados da moeda para nossas consumidoras. E ultimamente estou amando a preocupação com o conforto. Essa antítese que podemos perceber na mulher brasileira, que sempre foi mais extravagante, com estampas e cores, que tem consciência sobre o seu próprio corpo e suas curvas, buscar essa amplitude na estrutura das peças, é cool. É a nova geração de mulheres.

HB – A Calvin Klein sempre trouxe rostos diferentes para cada época, como vocês transitam essas gerações?
KC – Tivemos Brooke Shields nos anos 80, Kate Moss nos anos 90, Natalia Vodianova no final dos anos 90, Lottie Moss agora. Sempre buscamos mulheres que são referência para a época, que casem com o nosso lifestyle.

HB – Você comentou bastante sobre o normcore, qual sua opinião sobre a tendência?
KC – É uma forma de libertação feminina, digamos. Essa nova geração de mulheres que se veste dessa forma, traz uma individualidade, e é incrível. Elas deixaram de fazer mega produções, para se vestir de forma simples, buscando conforto e funcionalidade. O que na verdade é a essência da marca, sempre desenvolvi peças com shapes pensados, com materiais de qualidade, com layout bonito, para que a mulher se sinta incrível no dia-dia. Nunca fui um estilista de Red Carpet, por isso estou gostando tanto dessa tendência, que tem atitude, brinca com silhueta, gêneros e traz um toque de androginismo. Eu adoro.

Campanha da Calvin Klein - Foto: divulgação
Campanha da Calvin Klein – Foto: divulgação

HB – Sendo responsável por tantas linhas da Calvin Klein, viajando o mundo, como você incorpora cada identidade local nas coleções?
KC – Atualmente vejo pouca diferença globalmente falando. Antigamente conseguíamos distinguir bem a mulher de Londres com a mulher de São Paulo e Tóquio. Hoje em dia as características são mínimas, em Tóquio sabemos que as mulheres adoram adereços nas bolsas, em Londres é tudo mais clean e aqui um pouco mais de estampa. Porém sendo sincero, nas minhas últimas viagens consigo ver uma conexão entre as mulheres de diferentes países e culturas. Novamente, é a característica dessa nova geração.

HB – Acompanhando essas mudanças, você desenvolveu a modelagem Rckr Kick, lançada ano passado. Temos alguma novidade para os próximos meses?
KC – Engraçado você citar a Rckr Kick, porque ela foi uma das calças que mais vendeu no Brasil. O detalhe levemente flare na barra veio de uma tendência também. Lembro que na época as mulheres estavam usando muita bota, então quis aproveitar o momento e desenvolvi a modelagem. Para os próximos meses tenho uma novidade na linha jeans, que traz essa essência do conforto sem deixar de ser sexy. A nova calça, Girlfriend Jeans, é feita com a parte da frente do jeito da boyfriend jeans e a parte de traz mais justa. Então a mulher pode se olhar no espelho e ver seu lado cool e se sentir feminina.

HB – Mais novidades por aí?
KC – Estou muito empolgado em divulgar o novo e-commerce da Calvin Klein, que agora tem loja em português. E logo menos vamos abrir a primeira loja da Calvin Klein White Label no Brasil.