Kim Kardashian usa vestido icônico de Marilyn Monroe no Met Gala
Foto: Getty Images

Alguns boatos já rondavam o mundo da moda de que Kim Kardashian não estava para brincadeira quando o tema era o Met Gala deste ano – e a empresária cumpriu o prometido. Para comparecer ao evento, Kim elegeu um vestido polêmico usado por Marilyn Monroe em um momento que entrou para a história: quando ela surpreendeu o presidente John F. Kennedy em seu aniversário (o icônico momento em que ela cantou “Happy Birthday, Mr. President”), em 1962.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

A peça foi criada por Bob Mackie e, na época, chocou por sua aparência translucida, marcada pelo bordado com mais de seis mil cristais. A peça acumula alguns números surpreendentes, carregando o recorde de vestido mais caro vendido em leilão. O marco aconteceu em 2016, quando foi vendido por U$ 4,8 milhões no Julien’s Auctions. O Ripley’s Believe It Or Not Museum é o atual dono da peça, que é guardada em um cofre escuro, a 68 graus e no máximo 50% de umidade.

O primeiro passo para a peça ser emprestada à Kim Kardashian foi a empresária provar uma réplica, no mesmo tamanho. Apesar da peça ter servido na empresária, o mesmo não aconteceu com o vestido original. Por ser uma peça vintage, o vestido não podia ser alterado, por isso, Kim usou os meses que faltava para o Met Gala para emagrecer, adotando uma dieta rigorosa e um cronograma pesado de exercícios.

Em entrevistas, a empresária contou que perdeu mais de 7 kg para entrar no vestido e que chorou quando voltou a provar o modelo original e ele coube. Ao lado de seu namorado, o comediante Pete Davidson, uma das convidadas mais esperadas da noite fechou o tapete vermelho com chave de ouro.