Logo após a conferência de Sarah Burton, estilista da grife Alexander McQueen, dois homens importantes para o mundo da moda subiram ao palco do “Hot Luxury” para falar sobre suas experiências pessoais. O italiano Lapo Elkann, fundador e chairman da LA Holding, e James Lima, o artista e tecnólogo por trás do visionário “Avatar”, de James Cameron.

Lapo, considerado um dos homens mais bem vestidos do mundo – ele estava impecável num terno verde água e com cabelos milimetricamente arrumados para trás –, é responsável pela customização de carros de luxo, como o Fiat 500 para a Diesel.

“Customização de produtos não é exclusividade de milionários. Na minha empresa, você pode customizar produtos a partir de 150 euros”, diz. Segundo ele, o mercado de luxo precisa se abrir para as novas ferramentas que podem atrair o consumidor. ‘’Fazemos pequenas coisas sexies”, definiu.

Novidade também foi a palavra de ordem na conferência de James Lima, que aplica conceitos e inovações do cinema em peças publicitárias e desfiles de marcas como Prada e Ermenegildo Zegna. “A moda não pode temer a tecnologia”, alertou o artista que Suzy Menkes classificou como “o Spielberg da moda”.

Durante a conferência James apresentou um novo conceito de compras online, dando como exemplo o app criado para a grife Zegna. “Usamos ferramentas 3D para conceber uma ‘web place’, na qual o consumidor faz uma imersão na loja virtual e escolhe o que quer comprar num simples toque”.

Para ele, o mundo fashion deve compreender que não estamos mais na era da internet, e sim na era da “internet das coisas”. “Tudo deve estar integrado no mundo offline, bem como no online”, disse Lima.