Lino Villaventura/Foto: Reprodução

Por Sylvain Justum

Como bem diz Lino Villaventura em seu release, não se explica uma coleção vigorosa e forte como a de seu inverno. Mas a gente tenta. Como de costume, salta aos olhos o precioso trabalho de plissados, bordados e colagem de materiais que marca o repertório do estilista.

Entre volumes e barroquismos é possível identificar algumas tendências vistas na temporada. A começar pelo decorativismo, onipresente no desfile e explícito nos vestidos cheios de brilho das pedrarias bordadas com linhas metalizadas. Está ali o veludo molhado, bem trabalhado no tubinho preto com maxipétalas plissadas e até um vestido-casaco, de espírito esportivo, fechado com zíper e barra mullet.

A julgar pela ovação que Lino recebeu já no meio do desfile – no final, nem se fala -, a coleção agradou em cheio a fiel clientela fã do excesso. Missão cumprida.

MELHOR LOOK: Tubinho preto de veludo molhado e maxipétalas plissadas

ACESSÓRIO: A meia arrastão faz um comeback rápido, para as mulheres de espírito hard e sedutor

TECIDOS: Tafetá de seda, organza, gaze de seda, crepe de chine, jacquard de lã, gabardine e tricoline de algodão, jérsei de seda e linho