"Os estilistas têm que começar a ousar mais", diz Lizzy Bowring, Diretora de passarelas do WGSN - Foto: reprodução
“Os estilistas têm que começar a ousar mais”, diz Lizzy Bowring, Diretora de passarelas do WGSN – Foto: reprodução

Por Luciane Angelo

Lizzy Bowring, Diretora de Passarelas do WGSN, foi uma das palestrantes da 23 edição do seminário Create Tomorrow, no Shopping Iguatemi, nesta quarta-feira (14.04) e analisou as últimas tendências da moda feminina. Em conversa com a Bazaar, ela falou sobre sua visão da moda brasileira e o futuro:

Harper’s Bazaar: Como você a moda brasileira?
Lizzy Bowring: Estou muito feliz em estar aqui durante a época dos desfiles, estou empolgada por estar aqui. Há muitos estilistas em São Paulo e no Rio de Janeiro e os designers brasileiros são extremamente criativos, procuram algo diferente. E os clientes brasileiros são exigentes e esperam por isso também.

HB: Já viu algum desfile brasileiro?
LB: Ainda não. Vou para o SPFW agora à tarde. Ontem já dei uma olhada na sequência de desfiles e vou adorar conhecer a semana de moda daqui.

HB: Você falou sobre várias tendências, mas qual pessoalmente te agrada mais?
LB: Eu adoro o minimalismo. As linhas simples e retas serão muito importante para o futuro. Gosto das criações de Victoria Beckham, por exemplo. Não apenas devemos pensar em inspirações através das décadas mas como fazer isso de forma nova. Devemos conectar toda essas inspirações. Quando você cria algo novo e excitante para seu cliente, você rompe paradigmas, modelos, e isso é muito bom.

HB: Além das tendências gerais, quais as peças-chave das coleções?
LB: Acredito no vestido slim, bem cortado ao corpo feminino; minissaia; calça cropped, sweater longo e oversize; calça justa.

HB: Como será a moda no futuro?
LB: As pessoas vão querer algo novo e empolgante. Os estilistas têm que começar a ousar mais. Stella McCartney e Karl Lagerfeld pensam sobre coisas novas. David Davies falou sobre criatividade e é disso que precisamos. Se você for criativo você vai ganhar com isso.