O verão 2016 de Luisa Farani - Foto: divulgação
O verão 2016 de Luisa Farani – Foto: divulgação

Por Ligia Carvalhosa

“Desenho para mulheres fortes, ao mesmo tempo em que discretas e elegantes, mas nunca com medo de ousar.” Começa assim, entregando, de cara, a essência de sua marca, a conversa com Luisa Farani, estilistas brasileira que, em apenas 10 meses, se tornou um dos nomes mais quentes da moda nacional. O motivo do sucesso? Roupas que combinam, na medida certa, duas qualidades opostas: sensualidade e design clean, bem como manda o figurino do momento. “Cansei dos excessos. Para mim, quanto mais básico, melhor. Gosto de trabalhar com os curingas do guarda-roupa, mas transformá-los em protagonistas, cheios de personalidade.”

luisa farani
Foto: divulgação

O verão 2016 da label, que começa a chegar este mês às araras de multimarcas como Choix e Areaoito, em São Paulo, e Ortiga, em Brasília, é o melhor e mais recente exemplo do improvável casamento entre o sexy e o clean. “A coleção fica entre a cidade e a praia, com um jogo de opostos entre o lado urbano, mais bruto, e a leveza das praias da cidade”, explica, sobre a inspiração vinda de Miami. Assim, a seda fluída dá conta dos movimentos do mar e desenhos da areia, enquanto os grafites servem de inspiração para estampas que acendem a cartela sóbria.

Filha de pai diplomata, Luisa nasceu em Brasília, mas deixou o país ao completar dois anos para morar em Washington, depois Montevidéu e então Genebra, cidade que, segundo ela, foi responsável por formar o seu olhar. “Na Suíça, as mulheres são chiquérrimas justamente pela discrição. Para mim, estar sexy é consequência, é algo no detalhe e na própria atitude. É isso o que quero transmitir com a minha roupa.” O shape minimalista e a alfaiataria impecável, então, foram afinados no mestrado em Moda, cursado em Florença, e ao longo dos dois anos que passou na equipe de estilo da inglesa Issa, na época sob comando da brasileira Daniela Helayel. “Visitava fábricas e via de perto o controle da qualidade, havia acabado de me formar em Publicidade e essa experiência foi uma verdadeira escola.” De volta ao Brasil, a moça trabalhou ainda na extinta Beach Couture, marca da stylist Vanda Jacintho, antes de lançar-se em voo solo, ou melhor, familiar – já que fica a cargo da irmã, a advogada Paula Farani, toda a gestão da marca. “Nosso plano de negócios é ter volume e precisava de alguém ao meu lado. Eu foco no design, ela no business.” O equilíbrio é promissor e o sucesso garantido.