Desfile Osklen, Inverno 2012

Por Sylvain Justum

Em clima apocalíptico, que mistura Mad Max com o universo clubber, a Osklen aposta desta vez em idéias bem jovens para um inverno multicolorido.

Sobreposições mil, mix de texturas e materiais diretamente pinçado das ruas e clima de anos 90 no ar. Em meio à profusão de formas soltas, confortáveis, feitas para dançar até o sol raiar na melhor rave, sobram preciosidades. Como, por exemplo, as peças escamadas – o colete verde de Daiane Conterato na abertura do desfile é bem chic – e, sobretudo, as de tricô de ponto largo, em modelagem oversized.

O exército de earth-brigaders de Oskar Metsavaht mistura sem problemas lãs, veludo – presente em boa parte das coleções da temporada -, couros (de salmão e pirarucu) e gorgurão, conseguindo looks que poderiam estar em qualquer capital do mundo.

Destaque para os ótimos camuflados digitalizados no neoprene, sobretudo nas cagoules com crista de spikes. Os camos servem de base para a explosão de cores da estampa floral psicodélica que tinge as últimas entradas, com lindo efeito tropical.

Coleção global, mas com tempero brasileiro, bem ao gosto da marca.

MELHOR LOOK: O de abertura, de Daiane Conterato, com elegantes sobreposições

ACESSÓRIO: A bota plataforma de alma cyberpunk, anos 90 total

TRILHA: Eletrônica soturna que casou perfeitamente com o clima da coleção