Izadora com uma de suas perucas - Foto: reprodução
Izadora com uma de suas perucas – Foto: reprodução

Por Ligia Carvalhosa

 

“O básico não me representa.” É assim, enfática, que Izadora Jacob se mostra, com jeans Zoomp de cintura altíssima, top cropped American Apparel e botas Zara de saltos vertiginosos. Aos 22 anos, imprime não só frescor, mas também impacto – no melhor sentido da palavra. Seja de jeans ou habillé, ela sempre veste algo de inusitado. Izadora é daquelas que veem, entendem e usam a moda não como cartilha de tendências, mas como ferramenta para criar imagens – ou, no seu caso, identidades. Qualidade que lhe garantiu espaço privilegiado na equipe de Reinaldo Lourenço como estagiária de marketing e estilo. “Adoro o estilo da Izadora. É individual e original. Ela não se atém ao que as pessoas estão usando e sim nos seus desejos pessoais”, diz o estilista. E, para tanto, a estudante não se vale apenas dos 250 pares de sapatos ou do closet eclético, mas também da crescente coleção de perucas, artefato que dá a ela certo ar mutante. “Gosto de assumir diferentes personagens. Já fui aficionada por sapatos, por roupas e agora encontrei uma nova diversão. Em 2013, comprei minha primeira peruca”, explica. Dois anos depois, já acumula sete modelos, entre fios loiros, platinados, pink, azuis e até verdes.“Compro em lugares especializados da Rua Augusta, em lojas de fantasias na 25 de Março e em sites do mundo inteiro. ”Mas, quando deseja uma cabeleira que ainda lhe falta, recorr e às amigas drag queens.

“Já tive o cabelo ruivo e tentei chegar ao branco, mas meus fios não aguentaram. As perucas são uma maneira de assumir meu lado camaleônico. Comecei compondo looks para o Halloween, hoje uso em festas menos caricatas. O próximo passo será assumir no dia a dia.”Apaixonada pela versatilidade da moda desde a infância, pensou em ser médica, mas o lado criativo falou mais alto. Aos 18 anos, deixou Bauru (SP) com destino a Nova York, para estudar inglês. Lá ficou por quatro meses, até ter certeza de que queria trabalhar com construção de imagens. Voltou e iniciou o curso de Moda na Faap, onde se forma este ano de olho na carreira de stylist.*

*Leia mais na edição de novembro da Bazaar