Donatella Versace no desfile que homenageou seu irmão, Gianni, em setembro de 2017 - Foto: Getty Images
Donatella Versace no desfile que homenageou seu irmão, Gianni, em setembro de 2017 – Foto: Getty Images

Foi batido o martelo: o grupo Michael Kors anuncia nesta terça-feira (25.09) que comprou a Versace por US$ 2,1 bilhões (cerca de R$ 8,6 bilhões). A mudança de ações da grife italiana para a norte-americana será concluída até o final de 2019, e ainda não se sabe por quanto tempo Donatela Versace continuará à frente da direção criativa da label.

Com a aquisição, Kors dá um passo importante para formar seu conglomerado, composto atualmente por sua grife homônima e pela Jimmy Choo, comprada em julho de 2017.

John D. Idol, chairman e CEO da holding Michael Kors, acredita que a marca vai crescer US$ 2 bilhões (R$ 8 bilhões) em receita com seu novo formato. “A aquisição da Versace é icônica para o grupo. A marca foi fundada em 1978 e, por 40 anos, representa o história da moda de luxo da Itália”, disse.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Gianni Versace, sempre rodeado de über models nos anos 1990, como Naomi Campbell, uma de suas musas - Foto: Getty Images
Gianni Versace, sempre rodeado de über models nos anos 1990, como Naomi Campbell, uma de suas musas – Foto: Getty Images

A Versace, apesar do seu nome forte no mercado, tem passado dificuldades financeiras. Em 2009, por exemplo, a marca teve uma receita de €270 milhões (R$ 1,3 bilhão) em vendas, somando um prejuízo declarado de €80 milhões (R$ 385 milhões).

Em 2014, por causa dos prejuízos acumulados, Donatella já havia vendido 20% dos seus negócios para o grupo Blackstone, em um acordo estimado em US$ 1,4 bilhão (R$ 5,7 bilhões).

Mas a marca tem valor inegável: segundo pesquisa da empresa norte-americana Ortelli & Co., especializada em valores de marcas, a Versace tem uma penetração tão alta quanto Gucci e Armani em alguns mercados do mundo.

Elizabeth Hurley causou furor com este look Versace em 1994 - Foto: Getty Images
Elizabeth Hurley causou furor com este look Versace em 1994 – Foto: Getty Images

A Versace foi fundada em 1978 pelo irmão de Donatella, Gianni Versace que fez história nos anos 1980 e 1990 vestindo celebridades como Elizabeth Hurley (com seu famoso vestido preto decorado com alfinetes na lateral), Elton John e Michael Jackson.

Gianni foi assassinado em sua própria casa em 1997, e a irmão assumiu o trabalho na sequência, trazendo para a marca outros nomes importantes como Jennifer Lopez e muitas instamodels como as irmãs Bella Hadid e Gigi Hadid.

Donatella Versace com executivos da Michael Kors - Foto: Divulgação
Donatella Versace com executivos da Michael Kors – Foto: Divulgação

Às agências internacionais, Donatella já se pronunciou sobre o novo negócio. “Este é um momento muito emocionante para a Versace. Faz mais de 20 anos que assumi a empresa, com meu irmão Santo e minha filha Allegra. Acreditamos que fazer parte desse grupo é essencial para o sucesso de longo prazo da Versace. Minha paixão nunca foi tão forte. Este é o momento perfeito para a nossa empresa, que coloca a criatividade e a inovação no centro de todas as suas ações, para crescer”.

A estilista confirma ainda que a decisão foi feita em família. “Santo e Allegra também acreditam que esse passo é muito importante para que a Versace atinja seu potencial máximo”, resume, confirmando que ela e a família seguem agora como acionistas da marca.

Leia mais:
10 coisas que amamos do verão 2019 da Versace
Esqueça o floral e invista no neon nesta primavera
Peles falsas ganham força nas grifes mais clássicas