O estilista André Courrèges, em 1987 - Foto: Getty Images
O estilista André Courrèges, em 1987 – Foto: Getty Images

Foi anunciado nesta sexta-feira (08.01) que o estilista André Courrèges,  faleceu aos 92 anos nesta quinta-feira (07.01) após uma luta de 30 anos contra a doença de parkinson.

André Courrèges e suas criações - Foto: reprodução
André Courrèges e suas criações – Foto: reprodução

O estilista nasceu em março de 1923 em Pau, na França, e se graduou em engenharia. Poucos sabem, mas antes de entrar para o mundo da moda, ele trabalhou como piloto aéreo. Mas seu gosto pelo design e arquitetura fizeram com que se mudasse para Paris.

Seu primeiro contato com a moda foi sua entrada na Chambre Syndicale School (responsável por formar nomes como Yves Saint Laurent e Valentino). Em 1947, assumiu a posição de draftsman, período em que trabalhou na Jeanne Lafaurie fashion. Logo em seguida, em 1950, começou seu ultimate training program na Balenciaga, onde ficou até 1961.

Foto: reprodução
Foto: reprodução

Mas foi somente durante a década de 60 que o mundo começou a saber quem era de fato André Courrèges. Assim que saiu da Balenciaga o estilista decidiu abrir sua própria Maison. Era a época da explosão da juventude, liberdade e inovação em todos os aspectos. Uma nova era, a vez dos jovens ditarem a moda, o comportamento e o estilo de vida, a vez deles lutarem por seus direitos em diversos protestos sociais e de regerem a indústria do consumo.

Com esse movimento acontecendo, Courréges decolou justamente por apresentar roupas que orbitavam os pensamentos daquela geração. A coleção de primavera de 1964, que foi batizada de Space Age, foi a considerada a mais ousada, pois era radicalmente diferente de tudo o que era oferecido até em então pelas grandes marcas.

As criações de André Courrèges  Foto: reprodução
As criações de André Courrèges Foto: reprodução

Em 1965, sua coleção revolucionou a alta-costura e contribuiu para o sucesso da minissaia. O estilista trabalhou muito suas ideias e concepções sobre o futuro, que na época era simbolizado pelos anos 2000.

Para Courréges, a mulher do futuro seria andrógena, sempre vestida com roupas plásticas e metalizadas. Essa ideia era traduzida em comprimentos mais curtos, botas e roupas feitas de PVC, material inovador para a época. Em 1969, inventou a peça que devemos agradecer até os dias de hoje, a famosa “segunda pele”.

Alguns dos looks desenvolvidos por Courrès para os Jogos Olímpicos de Munique em 1972 - Foto: reprodução
Alguns dos looks desenvolvidos por Courrès para os Jogos Olímpicos de Munique em 1972 – Foto: reprodução

Em 1972, devido ao seu sucesso, Courréges foi convidado para criar os uniformes oficiais  dos Jogos Olímpicos de Munique. No mesmo ano, lançou seu primeiro perfume, Empreinte, em um frasco de compostos de cobre/ouro, que se assemelhava a uma esfera e uma tampa de garrafa.

Em 1995, ele contratou Jean-Charles de Castelbajac para projetar duas coleções sob sua liderança visionária. A colaboração acabou virando uma parceria de anos. Em 2011, vendeu sua grife para dois investidores, Frédéric Torloting e Jacques Bungert, executivos da agência de publicidade Young & Rubicam.

O verão 2016 da Courrèges - Fotos: Getty Images
O verão 2016 da Courrèges – Fotos: Getty Images

Nos dias de hoje, a marca tem direção criativa de Sébastien Meyer e Arnaud Vaillant, que estrearam na temporada de verão 2016. A dupla, finalista do prêmio LVMH, buscou reviver o futurismo inicial da marca para esta estação. Para isso, apostaram em itens básicos do guarda-roupa, como jaquetas, saias, e vestidos em evasê com recortes, estampas e aplicações diferenciadas.

Leia mais: Courrèges acaba de anunciar seus novos diretores criativos

O verão 2016 da Courrèges - Fotos: Getty Images
O verão 2016 da Courrèges – Fotos: Getty Images