Nesta quinta-feira (01.12) a alta costura perde um de seus grandes padrinhos, François Lesage, um dos grandes especialista em bordados que o mundo da moda já viu.

Lesage, que tinha 82 anos de idade, faleceu em decorrência de uma longa doença, deixando um legado de mais de sessenta anos de bordados excepcionais, que marcaram muitas das semanas de moda de alta costura de Paris.

Considerado o melhor atelier de bordados do mundo, tudo começou em 1924 quando Albert Lesage comprou a oficina de bordados de Michonet, fundada em 1858. Albert iniciava ali sua grande obra, apreciada e utilizada por nomes como Balenciaga, Dior, Lacroix, Saint Laurent, Givenchy, só para citar alguns.

Com sua morte, em 1949, seu filho François Lesage assumiu a empresa, que hoje também mantém a Ecole Lesage, com os melhores cursos de bordados existentes. O pequeno estúdio localizado no bairro de Montmartre, em Paris, é o QG dos cinquenta artesãos responsáveis pelas peças desenvolvidas.

Cerca de 60 toneladas de pérolas, fios ou plumas estão armazenados entre as paredes do ateliê, que em 2002 foi adquirido pela Chanel, o que não impediu François de manter seu trabalho independente, inclusive assinando o bordado do famoso vestido de noiva da princesa Kate Middleton.

Um grande nome se foi, mas o legado da Maison Lesage continuará a ser perpetuado, sob a liderança do recém anunciado diretor criativo do atliê, Hubert Barrere. E a gente faz a nossa despedida com uma galeria de imagens de alguns de seus trabalhos, assim como de seu preciso ateliê.