Retrato de Gaby feita por seu marido, o ativista político Raymond Aghion - Foto: reprodução
Retrato de Gaby feita por seu marido, o ativista político Raymond Aghion – Foto: reprodução

Morreu na manhã deste sábado (27.09) Gaby Aghion, co-fundadora da Chloé e importante executiva na cena da moda há décadas. Ela tinha 93 anos. Sua morte foi anunciada pelo CEO da grife Geoffroy de la Bourdonnaye, confirmando que seu último pedido foi que o desfile da marca, marcado para domingo (28) na temporada de verão 2015 de Paris, deve acontecer mesmo sem ela.

Apesar de usar uma cadeira de rodas nos últimos anos, Gaby jamais deixou de comparecer às apresentações da Chloé e, em dezembro de 2013, ganhou um reconhecimento especial do governo francês.

Uma das pioneiras do luxo no ready-to-wear, ela nasceu no Egito e criou seu negócio com o parceiro executivo Jacques Lenoir. Nas décadas de 50 e 60 foi responsável por contratar e apostar em nomes como Christiane Bailly, Tan Giudicelli, Graziella Fontanta, Maxime de la Falaise e Karl Lagerfeld, que começou a trabalhar para ela em 1966 e ali fez fama.

A Chloé foi vendida para a Compagnie Financière Richemont SA em 1985, mas Gaby sempre foi entusiasta da marca. A diretora criativa no comando agora é Clare Waight Keller, ex-Pringle of Scotland, que assumiu o posto em 2011.

Gaby deixa um filho, o professor de Harvard Philippe Aghion, e dois netos.