Na noite dessa terça-feira (13.12) aconteceu a primeira parte do leilão da Christie’s, da extensa coleção de joias e roupas de Elizabeth Taylor, já trazendo resultados surpreendentes.

Com uma arrecadação em torno de US $116 milhões; este é o maior recorde já visto para uma coleção de joias particulares vendida em leilão. Até então, o maior valor arrecadado tinha sido de US$ 50 milhões em 1987 pelas peças da duquesa de Windsor.

Muitos dos 80 lotes que foram colocados a disposição, foram vendidos por até 10 vezes mais que o estimado. Os cálculos iniciais tinham sido somente em cima do valor das pedras. A primeira peça, um bracelete estimado entre US$ 25 e 35 mil, foi vendido a US$ 326.500, estabelecendo assim o tom vertiginoso de lances dado ao longo das quatros horas de leilão.

O famoso colar La Peregrina, conhecido pela sua pérola em formato de pêra, além do seu rubi e diamantes Cartier, foi vendido por US$ 11.8 milhões, alcançando o recorde mundial de uma joia de pérola já vendida. O anel de brilhantes – presente de seu ex-marido, Richard Burton – atingiu US$ 8.8 milhões pelos seus 33 quilates, mais que o dobro do que havia sido calculado para ele – $3.5 milhões de dólares. Estabelecendo assim, um novo recorde de preço por quilate de diamante.

Outras joias de valor sentimental e histórico, como os três anéis dados por Burton para a atriz, por ela ter ganho partidas de ping-pong; atingiram valores bem acima dos estimados. No caso, a previsão de venda era de US$ 5 a US$ 7 milhões, mas foram leiloados a US$ 134,500.

Não só aos presentes dados por Burton foram pagos valores exorbitantes. A tiara cravejada de diamantes dada a Elizabeth Taylor pelo seu terceiro marido, Mike Todd, foi vendida por US$ 4.2 milhões, 50 vezes maior que o previsto.

Nesta sexta-feira (16.12) acontecerá a segunda etapa do leilão, ainda com joias, roupas, acessórios e algumas peças de recordação da atriz, como uma fotografia de Michael Jackson, assinada pelo astro e posta em uma moldura, estimada entre US$ 2 e US$ 3 milhões. Haja brilho!