Quer tema mais apropriado para o verão do que o universo náutico? Inspiração recorrente quando se pensa em coleções para momentos al mare, foi na passarela da New Order que ela apareceu pela primeira vez nesta temporada.

Tome referências clássicas como cordas, nós de marinheiro, âncoras e as célebres listras bretonnes, típicas do litoral noroeste francês. A língua de Bardot – e é fácil reconhecê-la nas charmosas pin-ups sixties do desfile, no qual pipocam também referências dos anos 20, é bem verdade – permeou toda a apresentação, com hits deliciosos de Françoise Hardy e até versão francesa de Yellow Submarine. Pense em St. Tropez vintage.

Vale lembrar que o foco aqui são os acessórios, já que as roupas produzidas para o desfile não costumam ser encontradas nas lojas – e se, no inverno, elas despertaram tanto ou mais desejo do que os sapatos e bolsas, desta vez, estiveram bem mais tímidas. Olho nos complementos, então.

A batalha fashion da New Order opõe rústico e hi-tech. Um mesmo dockside metalizado ganha versões plataforma, mule, trekking e o inevitável shape Anabela embutida do momento. Repita na fórmula com a versão em jeans, charmosa que só, com os cadarços de corda náutica.

Mais para o final, show de cores nos modelos de tiras que lembram a trama da célebre Melissa Aranha, sabe? Adicione um ou outro bico arredondado sessentinha e terá o essencial em matéria de calçados no bom repertório da grife. Claro que tem espadrilles! De saltinho, listradas. Honra ao mérito para a beleza, assinada por Robert Estevão, com os cabelos frisados sob as lindas touquinhas de banho deluxe, bem 20´s.

Nas bolsas, mesma batalha de materiais. Memorize o modelo tote, desdobrado em múltiplas versões, muitas das quais perfeitamente usáveis também no asfalto.

A escolha Bazaar: As bolsas transparentes com estampa de siri e lagosta. Irresistivelmente pop!