por Juliana Lopes

É uma questão de lifestyle. Mulheres que vêm da academia podem estar seminuas que está ok. Se a atividade que praticamos obriga aquele corpo a estar descoberto, ok. Se o corpo sai todo justo e marcado e coloridão – porque sou fitness –, é coerente. O esporte tem sido, há quase 100 anos, um ótimo motivo para trazer a sensualidade na moda.

E a moda tem sido uma boa razão para que o esporte fique mais sexy. E o corpo que se move no esporte transmite um estilo de vida que movimenta a moda. Estar gostosona no Instagram por causa do esporte? Legítimo. Moda + esporte + sensualidade: que trio. Aproveitem!

“A prática de exercícios físicos amplia a percepção dos sentidos, a atenção que se dispensa ao corpo, suas possibilidades de aparição e, principalmente, de sedução”, comenta Kathia Castilho, doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP e autora do livro Corpo e Moda: Por uma Compreensão do Contemporâneo.

Candice Swanepoel para Harper's Bazaar - Foto: Divulgação
Candice Swanepoel para Harper’s Bazaar – Foto: Divulgação

Representante-mor do estilo famosa, esportivona & sexyRihanna acertou a mão na parceria Fenty Puma. Uma marca high fashion elegante não faria o mesmo efeito. Entram no pacote também a pegada hip-hop, que conversa bem com materiais e caimentos street-esportivos.

Na mais recente coleção, muito cropped, o megajusto contrapondo o oversized, saias micro, tiras, cintos, vazados. E por que não sapatos de salto, visto que não é preciso, necessariamente, ir pra academia?

Look Fenti Puma byRihanna, Verão 2018 - Foto: Divulgação
Look Fenti Puma by
Rihanna, Verão 2018 – Foto: Divulgação

Há três anos a Chanel também contou essa história do fitness como passagem obrigatória da rotina – e, consequentemente, situação de moda. No desfile, ambientado num supermercado, as mulheres desfilavam looks saí-da-academia-passei-no-super.

Quem abriu a passarela foi Cara Delevingne, de blusinha cropped rosa, em conjunto com a calça, tudo marcando e furadinho. Por cima, um casacão de inverno. No mesmo ano, a campanha da Chanel trouxe Cara toda linda com visual boxeadora.

Desfile Chanel Inverno 2014 - Foto: The Conversation
Desfile Chanel Inverno 2014 – Foto: The Conversation

Gisele, no vídeo de publicidade do perfume Chanel Nº 5, sensualiza com sua prancha de surfe, toda sensibilizada pelo drama de amor.

Gisele Bündchen para  Chanel nº5 - Foto: Pinterest
Gisele Bündchen para Chanel nº5 em 2014 – Foto: Pinterest

Acertando o relógio da moda para o século passado, encontramos as Spice Girls, bem esportivas – destaque para a Mel C – com suas leggings, cropped peças pretty-minimal totalmente anos 1990.

Spice Girls - Foto: Pinterest
Spice Girls – Foto: Pinterest

E como não lembrar da febre do filme Flashdance nos anos 1980, que fez a mulherada sair à noite de microssaia e polaina? E na década anterior? Jane Fonda fazendo vídeos fitness e Farrah Fawcett, claro, sensual até de jeans e moletom em cima do skate. “Foi nessa época que as peças de Adidas e Nike foram usadas também fora das quadras, relembra Daniele Nastari, docente do Instituto Europeo di Design.

Jennifer Beals (Flashdance), Jane Fonda e Farrah Fawcett
Jennifer Beals (Flashdance), Jane Fonda e Farrah Fawcett

As histórias são infinitas. E começaram bem antes. “A popularização da prática esportiva nos anos 1920 aconteceu junto com a ressignificação do papel feminino depois da Primeira Guerra. Jogar tênis, ir à praia, mostrar e bronzear o corpo se tornam exemplos de interação social”, explica.

“O lifestyle da elite era esportivo, inspirava banhos de mar, passeios de barco”, completa a pesquisadora de moda Fernanda Junqueira. “A feminilidade ganha um tom sensual com Madeleine Vionnet, roupas muitos fluidas”, explica.

Lado a lado com o esporte, as roupas ficaram mais confortáveis, os cabelos mais curtos. Ganham destaque os looks de sportswear de Jean Patou, que patrocinava a tenista mais importante da época, Susanne Lenglen. Ela estampava o noticiário esportivo – era uma campeã – e também de moda. Era musa. Permitiu-se usar um uniforme de tênis mostrando mais as pernas.

Simbolizou uma energia jovem, revolucionária, livre. O mesmo ímpeto que a levava a jogar, mesmo enfrentando problemas de saúde, a deixava abusada o bastante para vestir-se como queria e mostrar o que queria. Tal qual todas as outras de quem falamos por aqui.