Paulo Borges - Foto: Agência Fotosite
Paulo Borges – Foto: Agência Fotosite

Por Matheus Evangelista, do SiteRG

Teve quem tentasse explicar, entrevistas foram feitas e algumas especulações surgiram, mas o futuro da semana de moda carioca, o Fashion Rio, só uma pessoa sabe qual é: Paulo Borges, idealizador das temporadas nacionais. Em conversa com a Bazaar, Borges explicou as mudanças pelas quais a semana de moda carioca passará e, segundo ele, tudo será novidade a partir do segundo semestre de 2014.

“Já disse na imprensa que tínhamos intenção de mudar os desfiles de verão e inverno que acontecem no Rio de Janeiro. Quando essa mudança acontecesse, teríamos espaço para uma estação de alto-verão, que é muito importante para o Brasil, e que também pode ser chamada de Cruise, Resort ou qualquer outro termo usado internacionalmente. Nossa ideia aqui é transformar essa temporada em algo global e, quando digo global, me refiro a hospedar coleções e desfiles de marcas internacionais que possuem loja no país e que já estão acostumadas a realizar desfiles com esta proposta ao redor do mundo”, explica Borges, que acredita no potencial – e clima! – do Rio de Janeiro para essa mudança estratégica.

Com a certeza de 95% de que é produzido no Brasil é vendido para os brasileiros, Paulo afirma que há volume e capacidade para duas temporadas de verão – uma em São Paulo e outra no Rio de Janeiro, mas descarta a possibilidade de mais uma temporada de inverno da capital carioca, segundo ele, os estilistas que tiverem dispostos a apresentar suas coleções em São Paulo vão receber ajuda e todo suporte para tal. “Ao invés de fazer em novembro, esta temporada de alto verão no RJ deve acontecer entre julho e setembro”, avisa.

E questionado sobre o fim das estações, o empresário se justifica e explica que atualmente ninguém mais se importa se o que está na loja é de inverno ou verão, e a velocidade das marcas de fast fashion, de uma forma ou de outra, impulsiona o consumo. “O que quero dizer é que o estimulo de compra não é a nomenclatura da estação, são os desejos, os produtos “, finaliza.