Hoje em dia o significado de vintage mudou bastante. Peças que antes precisavam ter anos de vida para serem consideradas raridades, ou serem assinadas por designers lendários como Chanel e Saint Laurent, já não são mais obrigatoriedades nos dias de hoje. E o novo leilão que a tradicional Christie’s realiza nesta semana, é uma prova da tendência.

Intitulado “Fashion”, o leilão de peças de designers renomados – muitos ainda vivos e trabalhando – acontece na próxima quinta-feira (01.12) e vem para provar que uma peça de roupa não precisa mais vir da antiguidade para ter o seu valor.

A venda especial terá peças como um vestido amarelo de Pierre Cardin de 1960, um poncho plástico de Paco Rabanne de 1970, um vestido de tricô e lycra de Azzedine Alaïa dos anos 80 e até um vestido Valentino de 1990.

Com valores de lances por volta de US$ 2.900, este não é um leilão inacessível, comparado ao de bolsas vintage Hermès, que teve peças vendias por US$ 100 mil. Sapatos e bijoux também poderão ser arrematados na venda.

Com este leilão, podemos perceber um novo rumo na moda, que já não se baseia em peças de alta cosutra ou dos anos 30 para serem consideradas vintage e chamarem a atenção de colecionadores. Atualmente, temos a sensação de que basta uma peça ter a assinatura de um grande designer e alguns anos de idade, para ganhar o carimbo vintage.

Se a moda pegar, veremos muitos fashionistas garimpando os closets das mães, atrás dessas novas peças colecionáveis.

E você, o que acha da tendência?