Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Por Luigi Torre

Com três “biosferas”gigantes no exterior da Foundation Louis Vuitton, Nicolas Ghesquière deu ares futuristas àquela ideia de guarda-roupa atemporal que vem trabalhando desde de seu début à frente da Louis Vuitton. O tema, diga-se de passagem, não é nada estranho a seu gosto estético e isso já é essencial para entender porque está é uma das melhores coleções do estilista na maison.

Suas modelos neste inverno 2015 são como sobreviventes supercool de uma colônia terrestre em algum planeta distante ou, por que não, neste mesmo, num cenário pós-apocalíptico. Vestem memórias de um tempo que já foi, e adaptações e desejos do que virão, do novo.

Nas mãos, carregam versões futuristas dos icônicos baús da marca, prateados e cobertos por peles. E no corpo, combinação-quero-já de conjuntinhos de tricôs bordados com cristais e barras em babados, maxicasacos de pele, minissaias de couro com detalhes de metal, animal prints com texturas brilhantes, alfaiataria reta e afastadas do corpo, sobre camisetas tipo logomania e minivestidos de renda com couro e mangas bufantes.

Se é difícil apontar com precisão a origem e referência de cada peça, é justamente o que destaca esta coleção e faz uma das mais atuais e pertinentes da temporada (e uma marcada pela nostalgia).

“O que é uma coleção de moda?”, explicava Ghesquière, na carta que distribui aos convidados em suas apresentações. “Uma coleção é uma jornada multi-dimensional, facetada por experiências ao mesmo tempo imediatas e distantes. É um inventário que abriga tudo: o passado solene, o presente fértil e o inevitavelmente futuro dos sonhos. Uma coleção é um diário de viagem.”

Interpretação melhor e mais precisa sobre o tema viagem, tão precioso à Louis Vuitton, não é mera coincidência. É também é o que dá relevância ao que se vê na passarela e o que faz desta a melhor coleção do estilista, desde que assumiu o posto de diretor de criação há pouco mais de um ano. Em outras palavras, um diário de viagem ao longo, extremamente pessoal, em que paixões pessoais, se misturam à história da marca e ideais (bem convincentes e desejáveis) sobre o que será o futuro, dando cara realmente nova ao presente.

Clique em nossa galeria para ver looks da passarela da grife, em desfile realizado nesta quarta-feira (11.03), na semana de moda de Paris: