Chanel - Alta Costura - Verão 2013/Fotos: Marcio Madeira

No segundo dia da semana de alta costura de Paris, Karl Lagerfeld literalmente enfeitiça a turma da moda ao inventar um romance gótico para a Chanel. Em tempos de polêmica por conta do casamento gay na França, o desfile também faz uma ode às noivas, independente de sua orientação sexual. As entradas, com as modelos em pares, diz muito a respeito da posição do Kaiser sobre o assunto.

A exemplo de Raf Simons, que construiu um jardim para a passarela da Dior, Lagerfeld cria uma versão de primavera como cenário para seu show e descreve a coleção como “Shakespeare no parque”.

O duelo entre o belo e o assustador é constante na coleção, inclusive na beleza. A maquiagem à la “bonequinha dark”, com olhos negros e aplicações de penas e tule nos cílios, remetem a uma trágica heroína shakespeariana.

Para seu cenário Elisabetano, Lagerfeld prepara uma série de vestidos com modelagens típicas de princesas, prints e aplicações florais, combinados com sandálias peep toe de renda, bem modernas. Delicados vestidos, também rendados – em branco e em versões rosa bebê, com penas bordadas –, completam a coleção, lado a lado com saias assimétricas e recortes nos ombros, finalizados com botas intermináveis de couro.

Os ombros, aliás, são vedetes. Ganham destaque e aparecem com frequência ao longo do desfile, tanto nos variados decotes dos vestidos, quanto nos casacos com golas duplas, evidenciando o exercício constante de renovação da Chanel, tão característico de Karl.