Por Sylvain Justum

Ronaldo Fraga embarca na onda étnica e traz a tendência para o nosso País, homenageando raízes do Norte e sua veia pop atual, transmitida, sobretudo, pelo boom do tecnobrega, leia-se Gaby Amarantos.

Os tubos de luzes coloridas utilizados nos shows da nova diva aparecem enrolados nas cabeças, formando verdadeiras medusas tecnológicas, e acoplados nos looks brancos do primeiro bloco.

Neste, veio o primeiro sinal de que Ronaldo ficou mais comercial, apostando em roupas práticas e desabadas, confortáveis para as temperaturas tropicais.

Longos vestidos – o comprimento pontua toda a coleção – e bons combos de bermudas de gancho baixo com blazers desestruturados.

À medida que avança a narrativa do estilista, explodem as texturas, ricas e artesanais, em franjas e marchetaria transformada em roupas de efeito 3D.

Estampas de nossa vegetação, da rosa dos ventos e até dos guarás batendo asas tratam de aproximar a coleção da vida real. Funciona. Escolha um dos longos vestidos estampados e se jogue no calçadão. Ou em um baile animado por Gaby. Diversão garantida.

 O melhor look: a dupla blazer desabado de algodão + bermuda folgada de gancho baixo do primeiro bloco. As mais animadas farão bonito também com o vestido longo com estampas de tuiuiús Pink sobre fundo azul. Ótimo para os calçadões deste Brasil.

O acessório: escolha um dos múltiplos colares étnicos do desfile, são todos ótimos e maximalistas.