BUwood, conheça a marca que ainda vai dar o que falar - Foto: divulgação
BUwood, a marca que ainda vai dar o que falar – Foto: divulgação

Por Victoria Ranieri

As bolsas sempre foram um objeto que fascina todas as mulheres, ainda mais as de grandes grifes. Foi a partir dessa premissa que a russa Anya Bumagina criou a BUwood. “Queria criar uma bolsa perfeita para mim. Quando procurei o quer era ‘perfeito’ para mim, cheguei nesse modelo de bolsa minimalista, muito bem estruturada, com a mais alta qualidade, cores especiais e que transmite um sentimento especial. E o conceito da bolsa evoluiu desses princípios”, explica Anya com exclusividade à Bazaar.

A designer Anya Bumagina - Foto: divulgação
A designer Anya Bumagina – Foto: divulgação

Feitas em madeira, algumas com detalhes aparentes, outras revestidas com couro, as peças viram objeto únicos e um verdadeiro trabalho de arte. “Só a madeira leva mais de 40 dias para ser preparada! Usamos o cipreste italiano para a estrutura de todas as bolsas e nogueira-americana para aquelas que tem detalhe aparente de madeira”, continua. Mas não se preocupe, pois há várias camadas de proteção para garantir que está tudo perfeito para qualquer condição climática. No formato redondo, por exemplo, a estrutura sólida da bolsa é cortada de um único pedaço de madeira.

Os três modelos produzidos pela BUwood - Foto: divulgação
Os três modelos produzidos pela BUwood – Foto: divulgação

“Temos agora na produção um time com mais de 28 pessoas envolvidas. Assim que nós recebemos a madeira, começamos a produzir as outras coisas e ajustar o couro. Nós sempre ajustamos nossos modelos, as vezes um milímetro faz toda a diferença”, pontua. Quase 100% do trabalho envolvido em cada bolsa é feito à mão na Itália.

Detalhe da proporção das bolsas diante do corpo humano - Fotos: divulgação
Detalhe da proporção das bolsas diante do corpo humano – Fotos: divulgação

“Há apenas alguns artesãos que são capazes de elaborar tais projetos perfeitamente, todos eles trabalham para a BUwood. As habilidades deles vieram das caixas de chapéus usadas para viajar, muito comuns nos anos 60, mas eles não precisavam fazê-las perfeitamente, pois tinham outra finalidade”. Anya explica que o minimalismo foi um grande desafio para os artesãos, pois, diferentemente das bolsas convencionais, não há espaço para esconder as imperfeições. Cada modelo chega a demorar 10 semanas para ficar completamente pronto.

As bolsas ainda são numeradas - Foto: divulgação
As bolsas ainda são numeradas – Foto: divulgação

Sendo uma bolsa leve e precisando do cuidado que normalmente já se tem com peças especiais, o fato dela ser de madeira acaba tornando cada peça one of a kind. “Nós nunca sabemos quais vão ser as linhas desenhadas na madeira da próxima produção até que ela chegue. É sempre uma surpresa!” Mas, por ser de madeira, o design acaba sendo mais limitado. “Fazemos vários testes em laboratório, é um desenvolvimento constante”.

Os modelos Mini Bumi e KS Shoulder - Foto: divulgação
Os modelos Mini Bumi e KS Shoulder – Foto: divulgação

Com um e-commerce recém aberto e com entrega para todo o mundo, além de constantes visitas ao trunkshow do ModaOperandi, Anya conta quais são os planos para o futuro de sua marca: “pretendo que a BUwood tenha a mais alta qualidade em bolsas em madeira possível, eu acredito que esse precioso material que é a madeira possa um dia substituir a pele de répteis”. Must have now!