Por Ligia Carvalhosa

Patricia Viera viajou ao Atacama e de lá trouxe as imagens que inspiram seu inverno 2016, desfilado em passarela de sal grosso. Da terra, tons de laranja queimado e placas de cobre, o minério mais abundante da região. Do céu, as constelações desenhadas com caneta BIC (em colaboração com a artista carioca Clara Veiga) sobre o couro e os vestidos manchados de branco e azul como aglomeração de estrelas.

De espírito jovem, a estilista resgata a essência da Pat Pat’s (marca da filha Andrea Viera que pulou as últimas temporadas) e dê lá fisga certo ar rock’n’roll traduzidos em patches de estrela com tachas, franjas, jaquetas biker curtinhas e na própria beleza 80’s com cabelos coloridos à lá new wave.

Conhecida pelo trabalho primoroso no couro, Patricia explora texturas e revisita o material em escamas sobre tule, esferas cortadas à laser e na mistura com tramas de tweed e faixas de tapeçaria. De silhueta democrática, trabalha com comprimento míni, mídi e longo (com direito a transparências) e formas justas sobrepostas por casacos de silhueta ampla. A coleção, de fato, veste mulheres de estilos e idades distintas.