Cassia Avila veste body, R$ 1.300, Tommy Hilfiger; saia, R$ 2.730,parka, R$ 1.930, tudo Miu Miu - Foto: Erico Toscano/ Bazaar Brasil
Cassia Avila veste body, R$ 1.300, Tommy Hilfiger; saia, R$ 2.730,parka, R$ 1.930, tudo Miu Miu – Foto: Erico Toscano/ Bazaar Brasil

Por Ana Pinho

Desde que Dolce & Gabbana inundou a passarela de verão 2012 com bodies cintilantes, seguida de perto pelo visual balneário de luxo da Prada na mesma temporada, o item, popular entre supermodelos dos anos 1980 – pense na elegância de Donna Karan e Alaïa no corpo de Christy Turlington -, não saiu mais de cena. E nem dos closets das mulheres mais chics e antenadas. A cada nova estação, a peça, criada pelo acrobata francês Jules Léotard no século 19, era presença garantida, provando seu potencial para o dia a dia.

Exemplos mais recentes? Nos desfiles internacionais de verão 2014, o body injetou elegância fresca às passarelas de Stella McCartney, Isabel Marant e Giambattista Valli (em versão festa).

No último SPFW e Fashion Rio, ele segue como complemento ideal para o look do verão 2015 – indo muito além da praia ou das academias de ginástica. Teoria endossada pelas araras das lojas: “Sempre queremos novidades, e o body é a boa nova do momento”, resume Amália Spinardi, estilista da Jo de Mer, marca de beachwear também conhecida por peças que se dão muito bem no asfalto.

Da esquerda para à direita: Jo de Mer (R$ 352), Tigresse (R$ 439) e Giuliana Romanno (R$ 396) - Fotos: reprodução/ Bazaar
Da esquerda para à direita: Jo de Mer (R$ 352), Tigresse (R$ 439) e Giuliana Romanno (R$ 396) – Fotos: reprodução/ Bazaar

“A peça é versátil e permite muitas opções”, afirma Cassia Avila, adepta há tempos. Melhor vitrine para o look, ela costuma buscar os seus em grifes de lingerie ou moda-praia e combiná-los com calças de cintura alta. “Nem penso se o visual ficou muito anos 1980, por exemplo. Se olhei no espelho e gostei, é assim que eu vou”, ri.

Para Lolita Zurita Hannud, que comanda a Lolitta, marca com ótimas opções de body de tricô, a peça agrada a brasileira porque preza a boa forma. “Há uma tendência em buscar modelos que valorizam a feminilidade”, diz. Contudo, alguns cuidados são bem-vindos. Como é uma peça colada ao corpo (mais sexy), combiná-la com outras mais comportadas, como saias mídi ou rodadas, é uma boa pedida. Outro conselho importante, que vale para qualquer roupa, mas para esta em especial, é conhecer o próprio corpo.“É importante entender suas formas para saber qual modelo veste melhor”, ensina Giuliana Romanno, que fez de sua linha de lingerie hit absoluto e tornou-se hot spot das partidárias do item. Anotado? Agora é só escolher o seu.

Assine a Harper’s Bazaar