Água de Coco - Foto: Divulgação
Água de Coco – Foto: Divulgação

Esse SPFW provou que não é só de modelos que é feita a passarela. Apesar da preferência esmagadora por parte das marcas na escolha de tops para apresentar suas roupas, vimos que nesta edição do evento as coisas deram um grande passo para mudar e pessoas reais começaram, pouco a pouco, a ganhar mais espaço.

Fernanda Yamamoto - Foto: Divulgação
Fernanda Yamamoto – Foto: Divulgação

O começo da semana de moda foi marcado pelo desfile da cearense Água de Coco, que resolveu apostar em mulheres de diversas idades, pesos e até mesmo em top grávida! Mesmo numa proporção pequena, a transição foi muito bem-vista, ainda mais por se tratar de uma grife de moda praia, em que normalmente se perpetuam os padrões irreais de beleza da moda.

Da esq. à dir.: Modem, Memo, Cotton Project e Gloria Coelho - Foto: Divulgação
Da esq. à dir.: Modem, Memo, Cotton Project e Gloria Coelho – Foto: Divulgação

Dando continuidade à tendência, Fernanda Yamamoto colocou membros da comunidade japonesa Yuba, do interior de São Paulo, na sua apresentação e emocionou o público. Além destas marcas, Gloria Coelho, Cotton Project, Modem e a Memo – que fez uma perfomance incrível com dançarinas no meio do pavilhão – também investiram em pessoas comuns que representam seus respectivos públicos-alvo.