Ranata Figueiredo usa vestido Tigresse (R$1.490) - Foto:Raphael Briest/Harper's Bazaar Brasil
Ranata Figueiredo usa vestido Tigresse (R$1.490) – Foto:Raphael Briest/Harper’s Bazaar Brasil

Por Vívian Sotocórno 

Os grafites muralistas da Prada, os grafismos artsy da Céline, os florais sobrepostos por frases soltas da Dior. Nada mais fácil para saber de quem é um look do verão 2014 internacional, atualmente nas lojas, do que identificando suas estampas. O bom momento desenhado da moda não poderia ser mais feliz para nós, afinal, por mais que haja, ainda, um quê minimalista no ar, o que a brasileira gosta (e usa!) de verdade é cor e vibração.

“Brasileira adora ser notada, chamar a atenção. A estampa tira a obviedade da roupa e deixa o look original”, opina Renata Figueiredo, nome à frente da Tigresse, grife paulistana que fez fama nos últimos dez anos justamente com seus florais, geometrias, desenhos étnicos e estampas de lenço. São mais de 30 desenhos diferentes por coleção.As releituras de animal print são as que mais fazem sucesso com suas clientes.

Na esquerda Tatiana Pilão usa body, R$ 499, Tigresse,saia Alice + Olivia e sandálias Givenchy. Nicole Pinheiro usa blazer, R$ 990, Tigresse, blusa Joseph, saia Azzedine Alaïa e joias Sandra Pinheiro - Foto:Raphael Briest/Harper's Bazaar Brasil
Na esquerda Tatiana Pilão usa body, R$ 499, Tigresse, saia Alice + Olivia e sandálias Givenchy. Nicole Pinheiro usa blazer, R$ 990, Tigresse, blusa Joseph, saia Azzedine Alaïa e joias Sandra Pinheiro – Foto:Raphael Briest/Harper’s Bazaar Brasil

Entre as fiéis consumidoras está Tatiana Pilão: “Aproveito a onda atual dos bodies para investir em modelos estampados – são peças frescas, que injetam personalidade instantaneamente”, conta a colunista social, que, além da Tigresse, tem o armário recheado de prints da Pucci, Cavalli e Dolce & Gabbana. Os bodies são geralmente comprados na marca de Renata, já especialista em produzir a peça muito antes da tendencinha ser deflagrada. Tatiana é expert em trazê-la para o asfalto: “Adoro combinar a jeans de cintura alta, saia-lápis e até a uma calça de couro.”

Para as iniciantes, a dica de Renata Figueiredo é começar com prints clássicos, como oncinha ou poá, usados junto a complementos lisos, na mesma cor de fundo dos desenhos. “Aos poucos, a mulher perde o medo e começa a usar a estampa de maneira incomum”, observa ela. Conhecida pelo trabalho com seda e pela malharia boho, nesta estação a estilista vai além e leva seus prints para peças mais estruturadas. “Sempre tive vontade de trabalhar com outros materiais e achei que esse era o momento certo. Alfaiataria, neoprene, couro e até bandage foram impressos com estamparia digital.”

As estampas que fazem a fama da Tigresse. Na fileira de cima da esquerda para à direita: body de oncinha (R$498), body com estampa de lenço (R$499), vestido loral (R$960). Na fileira de baixo, da esquerda para à direita: camisa de rosas (R$869) e vestido estampado (R$989) - Fotos: divulgação
As estampas que fazem a fama da Tigresse. Na fileira de cima da esquerda para à direita: body de oncinha (R$498), body com estampa de lenço (R$499), vestido loral (R$960). Na fileira de baixo, da esquerda para à direita: camisa de rosas (R$869) e vestido estampado (R$989) – Fotos: divulgação

Outra iniciada no exercício overprinted é a cearense Nicole Pinheiro, acostumada a desfilar em seu blog looks do dia que misturam diferentes estampas. “O mix deixa a produção moderna. Mas, para isso, é essencial que eles tenham tons que combinem entre si.” Nicole já tem suas regras à prova de erros: “Animal com poá ou estampa geométrica com floral são sucesso garantido!”.