Busca Home Bazaar Brasil

Posicionamento crítico ou otimismo: moda tem dois lados no verão 2019

Uma profusão de cores reforça todos os tons da América na semana de moda de Nova York

by Silvana Holzmeister
Marc Jacobs, verão 2019 - Foto: Divulgação

Marc Jacobs, verão 2019 – Foto: Divulgação

Entre a comemoração da trajetória de 50 anos de Ralph Lauren no Central Park e os rumores de que Marc Jacobs teria atrasado propositalmente seu desfile para desestabilizar a estreia de Rihanna com Savage X Fenty, a semana de moda de Nova York Verão 2019 reforçou, por meio de temáticas e metáforas, as críticas à política de intolerância que continua reinando na América do governo Trump.

Entretanto, o colorido funcionou, principalmente, para levantar o astral. Outro ponto positivo: a ascensão de uma safra de designers preocupada com desconstruções e inclusão, que acrescenta frescor e rejuvenesce o line-up.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Pyer Moss, verão 2019 - Foto: Divulgação

Pyer Moss, verão 2019 – Foto: Divulgação

O destaque foi o desfile-manifesto da Pyer Moss. O fundador da marca, Kerby Jean-Raymond, levou para a passarela uma provocação, ao propor uma experiência afro-americana sem a constante ameaça do racismo. Para ilustrar, decorou looks com imagens de cotidiano, assinadas pelo talentoso artista Derrick Adams. O cenário não podia ser mais apropriado: Weeksville, no Brooklyn, local histórico, onde foi fundada uma das primeiras comunidades negras livres do país, logo após a abolição da escravatura.

Outros nomes que estão construindo trajetórias consistentes, com interpretações bastante particulares das estéticas que rondam a moda contemporânea, são Brock Collection, Vaquera, Telfar e Luar, que estreou há apenas duas temporadas.

Kate Spade, verão 2019 - Foto: Divulgação

Kate Spade, verão 2019 – Foto: Divulgação

Na cena mainstream, a estreia de Nicola Glass na Kate Spade New York teve tempero dos Swinging Sixties, com florais retrô, silhueta urbana jovial e divertidos lenços que prometem fazer a cabeça de garotas descoladas já nos próximos meses. Com passagens pela Gucci de Tom Ford e Michael Kors, a estilista prestou homenagem a Kate, que cometeu suicídio em junho deste ano, trabalhando sobre estampas e intarsias, assimetrias e movimento, elementos que sempre estiveram presentes na estética da marca.

Já uma profusão de babados tropicais, franzidos e volumes dialogam com uma mulher maximalista que recorda os exagerados anos 1980 de Yves Saint Laurent e os primeiros anos de Karl Lagerfeld à frente da Chanel. Principalmente na coleção de Marc Jacobs. Extravagância, aqui, é palavra de ordem, ainda que ele tenha escolhido um singelo slip dress para abrir o show. Base para toda a montação que veio na sequência, a peça também trava diálogo com um passado glorioso ao olhar para trás a partir de uma referência sutil ao grunge, estética que sempre estará ligada ao seu início de carreira. Imensas golas pierrot e flores gigantes de tecido arremataram boa parte dos looks.

Rodarte, verão 2019 - Foto: Divulgação

Rodarte, verão 2019 – Foto: Divulgação

Clima semelhante acompanhou o retorno das irmãs Kate e Laura Mulleavy ao evento nova-iorquino. Apostando no reforço do DNA da Rodarte, a dupla foi buscar no contraste de materiais uma fórmula interessante para ir do sonho à decadência, e do puro espetáculo à objetividade das araras. Couro pesado, nuvens de tule e camadas de renda que iam do branco alvíssimo aos pálidos, do prata laminado ao preto com acabamento encerado.

Calvin Klein, verão 2019 - Foto: Divulgação

Calvin Klein, verão 2019 – Foto: Divulgação

E ainda que Raf Simons tenha coberto de vermelho a passarela da Calvin Klein para mencionar a escalada de violência nos Estados Unidos, no geral houve uma ode ao alto astral por meio de uma cartela de cores bastante eclética. Estão todas lá. “Pessoas felizes fazem roupas alegres”, sentenciou Wes Gordon, à frente da Carolina Herrera.

Carolina Herrera, verão 2019 - Foto: Divulgação

Carolina Herrera, verão 2019 – Foto: Divulgação

Tons pastel vieram, lado a lado, com uma paleta tropicaliente – principalmente marigold, o amarelo Gen Z – com ou sem brilho. Todas as cores para serem usadas misturadas ou no mais puro estilo combinadinho, como fez Michael Kors. Você escolhe!

Michael Kors, verão 2019 - Foto: Divulgação

Michael Kors, verão 2019 – Foto: Divulgação

Leia mais:
Abuse da bermuda jeans no verão 2019
Slip dress é a peça-chave para o verão 2019
Tramas: caia na rede no verão 2019