Oscar de la Renta, resort 2021 – Foto: Divulgação

Em um ano de isolamento social e questões urgentes ligadas ao meio ambiente, não chega a estranhar que a natureza tenha virado inspiração para as coleções de 2021. Vários estilistas daqui e de fora olharam para destinos bucólicos, bosques e parques em busca de uma “moldura” verde, ao mesmo tempo em que enfatizaram a busca por práticas sustentáveis.

Junto, ainda entra outra tendência reforçada pela pandemia: o local. Pense em plantar seus próprios alimentos ou comprar orgânicos, valorizar tecidos e roupas feitos em pequena escala. É voltar-se para as coisas simples da vida, desacelerar, preservar. Tudo isso traz uma imagem de leveza que aponta para a permanência por mais alguns meses da cottagecore.

A estética que idealiza a vida no campo começou a ganhar os holofotes no início do ano passado com a exposição “Countryside, The Future”, no Guggenheim Museum, em Nova York. A Covid-19 deu um empurrãozinho e fez o movimento ficar em evidência em plataformas como TikTok e Instagram.

É que, trancadas em casa, muitas pessoas descobriram a alegria de reduzir o ritmo e de apreciar a natureza, segundo análise da agência global de tendências Fashion Snoops. A abordagem é abrangente, incluindo até mesmo cortar o próprio cabelo, fazer pão, cuidar da horta, o que ajuda a entender as outras denominações: farmcore e countrycore. E, claro, tudo isso impacta nas roupas.

Ermanno Scervino, resort 2021 – Foto: Divulgação

Foi nesse mood que Toni Scervino e Ermanno Daelli decidiram fotografar o resort da Ermanno Scervino no jardim botânico de sua vila florentina, repleto de árvores frutíferas, hortas e plantas raras. Esse cenário bucólico foi perfeito para mostrar a coleção trabalhada à distância com os artesãos.

Celine, resort 2021 – Foto: Divulgação

São peças delicadas, decoradas com bordados e rendas elaboradas, babados e plissados. Essa atmosfera meio rural, meio romântica, definitivamente, tem aquela imagem de chique sem nenhum esforço. A proposta não tem gênero definido, mas seduz muito mais as mulheres, graças aos vestidos românticos, como o modelo camponês com pegada setentista que Hedi Slimane fotografou em um set campestre pouco usual de Saint-Tropez para a meia-estação da Celine.

Renata Buzzo, resort 2021 – Foto: Divulgação

Foi também um cenário repleto de vegetação que a estilista Renata Buzzo escolheu para sua estreia na edição digital do SPFW. A coleção foi exibida em um fashion film feito no Bosque Municipal, em Águas de São Pedro, no interior de São Paulo. “É uma cidadezinha que estou acostumada, a família do meu marido tem uma chácara nas redondezas”, conta ela.

Gabriela Hearst, resort 2021 – Foto: Divulgação

Esse movimento “para dentro”, e que inclui ênfase em processos responsáveis, dá o tom ao vídeo de apresentação do resort 2021 de Gabriela Hearst para sua marca homônima. A cavalo, ao lado da irmã, ela comenta que sua prática sustentável é exatamente isso, uma prática: “Você nunca atinge a perfeição, mas precisa começar.”

À esquerda, Zimmermann. À direita, Oscar de la Renta – Foto: Divulgação

A leveza e a felicidade do contato com a natureza servem de mote para a coleção da Zimmermann, enquanto detalhes de flores e limões levam as criações de Laura Kim e Fernando Garcia para a Oscar de la Renta do romântico ao fresh.

Dior, resort 2021 – Foto: Divulgação

A Christian Dior, que não quebrou a tradição e fez desfile na Puglia, Itália, enalteceu o antiquíssimo bordado tombolo (ou renda de bilros no Brasil) que, acredita-se, tenha sido criado por mulheres para enfeitarem suas casas.

O Fashion Snoops chama a atenção para o fato de que essas atividades femininas têm uma história de hostilidade em relação aos direitos das mulheres – e, ainda, pessoas LGBTQIA+ e pretos. Parte do fascínio da cottagecore, diz a análise, é a liberdade que permite a qualquer pessoa ser ela mesma em um ambiente que é rural e, ao mesmo tempo, muito moderno.