Por Luigi Torre

“Em tempos tão difíceis como os nossos, falar de amor já é bastante revolucionário”, disse Ronaldo Fraga. E é exatamente sobre isso que seu inverno 2016 se desenvolve. Corações, rosas, cravos, poemas, músicas e mais todo um repertório de imagens, que remetem ao mais quente e também doloroso dos sentimentos, aparecem em estampas, bordados, texturas e até queimados à laser.

O tecido base é a seda: pura ou misturada a fios de algodão, “porque, assim como o amor, é sensual, delicada e se transforma com o passar o tempo”, diz Ronaldo. E o vermelho, e um bem intenso, a cor-chave, que dá dramaticidade extra às peças amplas que cobrem e revelam corpos sem qualquer distinção de gênero.

Afinal, como o próprio estilista disse, amor é um dos poucos sentimentos (assuntos) que acomete a todos, não importa raça, cor, origem e idade. É universal.