Rose Namajunas usa blazer e colete Louis Vuitton, top e shorts Nike, joias Tiffany & Co e sandálias Alexander Wang – Foto: Alex Cayley, com styling de Julien Mack, edição executiva de Filipa Bleck, beleza por Mark Edio, assistente de fotografia Tres Michel

Não se deixe enganar pelos traços delicados e a carinha de boneca que estampam esta matéria. Rose Namajunas é dona de um cinturão peso-palha no UFC e uma das lutadoras mais poderosas de MMA.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Conhecida nos octógonos como “Thug Rose”, a Rosa Bandida, no entanto, está mais para rosa. “Recebi o apelido por minha força e coragem, apesar de minha aparência não condizer com isso. Eu sou capaz de surpreender quando tentam me intimidar porque acham que sou dócil. Esse apelido é sobre ser rebelde em face das expectativas dos outros e se defender”, resumiu ela à Bazaar.

Rose Namajunas usa look total Gucci, colar Versace e meias Uniqlo – Foto: Alex Cayley, com styling de Julien Mack, edição executiva de Filipa Bleck, beleza por Mark Edio, assistente de fotografia Tres Michel

Filha de lituanos, a lutadora norte-americana de 28 anos, nascida em Milwaukee, Wisconsin, inaugurou um novo estilo no mundo do combate, e passou a não seguir certas regras do jogo. Uma delas: recusa-se a ofender oponentes com palavras duras, como tática para desestabilizar a adversária. É uma lutadora pró-liberdade, digamos assim. “Esse tipo de ataque simplesmente não funciona para mim. Meu melhor desempenho é quando sou honesta e confiante em mim mesma, em vez de ferir alguém com palavras. Mas acredito na liberdade de forma absoluta. Todos podem falar o que quiserem, a luta é o que importa.”

Look total Christian Dior e brincos Tiffany & Co – Foto: Alex Cayley, com styling de Julien Mack, edição executiva de Filipa Bleck, beleza por Mark Edio, assistente de fotografia Tres Michel

Rose também desafia o senso comum dos octógonos ao não ter medo de mostrar suas emoções. Já deixou as lágrimas correrem em seu rosto por diversas vezes – algo proibido no mundo dos ringues. Uma delas, quando esteve no Brasil, no ano passado, para enfrentar a brasileira Jéssica Andrade (contra quem acabou perdendo, mas ganhou na revanche deste ano). Ao ser recebida com carinho pelos fãs, no Rio, emocionou-se.

Vestido Balmain e colar Tiffany & Co – Foto: Alex Cayley, com styling de Julien Mack, edição executiva de Filipa Bleck, beleza por Mark Edio, assistente de fotografia Tres Michel

Também chorou quando ouviu de uma oponente, na disputa pelo título do peso-palha, palavras duras sobre os distúrbios mentais que fazem parte da história dela e de sua família. “Todos têm suas fraquezas e eu não tenho medo de mostrá-las. Essa é minha fortaleza.”

A lutadora fala abertamente dos abusos sexuais que sofreu, sobre sua instabilidade emocional e a esquizofrenia que levou seu pai precocemente. “Falar disso ajuda, a luta marcial ajuda, mas a minha relação com Deus é tudo.” Nas artes marciais, Rose encontrou a força para superar a raiva e a dor. Na religião, conforto.

Look total Versace – Foto: Alex Cayley, com styling de Julien Mack, edição executiva de Filipa Bleck, beleza por Mark Edio, assistente de fotografia Tres Michel

Há alguns anos, adotou a cadela Mishka, que lhe dá suporte. “Ela ajuda a manter minhas emoções sob controle, já que a qualquer momento posso não estar centrada.” Para driblar a pressão na hora do corpo a corpo? “Eu apenas me certifico de contar com minhas bênçãos e lembrar meu propósito, então lutar não fica tão estressante”, conta. Rose também toca piano nos momentos em que deixa a arte e a paz invadirem seu coração. “Gostaria de ter energia para praticar mais.”

O instinto de lutar, conta, nasceu com ela. Aos 5 anos, já praticava taekwondo. “Eu cresci na cidade, mas sempre desejei estar com os animais na natureza. Foi assim que me apaixonei pelas artes marciais, pelos instintos que ela me deu, da mesma forma que um animal deve desenvolvê-los em seu habitat natural. Isso me fez ter controle em situações sobre as quais eu não tinha o menor controle.”

Top Emilio Pucci e colar Versace – Foto: Alex Cayley, com styling de Julien Mack, edição executiva de Filipa Bleck, beleza por Mark Edio, assistente de fotografia Tres Michel

Os cabelos raspados não são para simular uma falsa imagem de má. Essa não é Rose. “Eu raspei os meus cabelos para não prejudicar os treinos e, como bônus, acho que ficou muito bom!”.

A meta agora é se preparar para a briga pelo título do campeonato peso-palha da UFC contra a chinesa Weili Zhang. O combate aguardadíssimo deve acontecer no final deste ano ou no começo do próximo. Pergunto como ela se sente: “ótima e preparada para mais essa luta. Sou a melhor do mundo!”. Não temos dúvida, Rose.