Foto: Marcio Madeira

Por Sylvain Justum

O inverno multicolorido da Sacada propõe uma série de duelos. Feminino e masculino, esporte e decorativismo, tons sóbrios e cartela viva se enfrentam, mas não brigam. A cintura marcada e o shape evasê dos anos 50 encontra o corte de alfaiate, sempre com delicado trabalho de texturas, chave da coleção. A imagem é moderna, construída com materiais tecno como o neoprene nos vestidos-casaco, mas faz questão de manter-se ligada ao passado com calças cigarrete e escarpins clássicos de salto médio, combinação preferida do desfile, arrematada por confortáveis tricôs de ponto aberto.

A imagem que fica é a dos looks monocromáticos em azul, laranja e amarelo, como o de Drielly Oliveira, composto de top mais saia-abajur. Mas, mesmo na família das cores invernais – verde garrafa, preto e vinho -, o brilho é mantido no veludo devorê com foil e brocados, ou nas peças com fios de lurex. Até uma estampa, pincelada em arco-íris artsy, se intromete na brincadeira, sem a mesma força, no entanto. Sainhas plissadas, mangas proeminentes e t-shirts luxuosas em couro – em shape mullet que, depois das saias, parece querer vingar também nos tops- completam o embate fashion.

O melhor look: saia plissada laranja, de cintura marcada, combinada de maneira bem cool com t-shirt molenga da mesma cor.

O acessório: escarpins clássicos são eternos curingas. Aqui, eles vêm texturizados e cobertos com os tecidos nobres da coleção, como o veludo.