Busca Home Bazaar Brasil

Saint Laurent em clima hedonista da era disco

Polêmico desde que assumiu a direção de criação da grife, Slimane mantém os olhos atentos a expressão da cultura jovem

by elav
Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Por Luigi Torre

São os anos 1970, tão marcante nesta temporada, o fio condutor do verão 2015 da Saint Laurent. Em clima hedonista da era disco, Hedi Slimane coloca suas modelos em blazers de corte reto (Bazaar ama as novas versões do Le Smoking), minissaias de couro, tops de tricô com lurex, microvestidos acinturados (também adoramos os modelos todos em preto), quase tudo acompanhado de bordados brilhantes.

Na parte mais street, jeans de cintura alta, jaquetas de camurça e tons neutros, com toques da cultura espanhola, outro tema  que corre nas entrelinhas desta estação. Tudo naquela já conhecida proporção reduzida do estilista. Como pano de fundo, inspirando também a passarela colorida como arco-íris, está o trabalho do artista plástico californiano Robert Heinecken.

Polêmico desde que assumiu a direção de criação da grife, Slimane mantém os olhos atentos ao que há de mais atual nas várias formas de expressão da cultura jovem. Suas coleções são versões de máximo luxo (apesar de não parecer) do que vê pelas ruas do mundo,  bem como fez Yves Saint Laurent em si no fim da década de 60, com sua Rive Gauche.

Goste ou não de sua moda, não há como negar que o sucesso comercial já é algo influente na indústria toda. Seu estilo, desde sempre algo assustadoramente comum para as passarelas, agora é a ordem da vez (vide a obsessão por normalidade). Sua paixão pela estética vintage, é uma das principais tendências do próximo verão. Se visualmente encontrar semelhanças com o legado do fundador da maison requer um maior esforço, a atitude e ponto  de vista, com certeza, se conectam de maneira mais fácil a essência desta grife.

Na galeria abaixo, uma seleção dos looks desfilados nessa segunda-feira (29.09) em Paris: