Por Sylvain Justum

As ninfas de Samuel Cirnansck se aventuram por um jardim bucólico – o estilista gosta do cenário, não é a primeira vez que o utiliza – e assumem tripla personalidade, sem, no entanto, abandonar a essência.

O espírito é leve, feito de vestidos longos, fluidos e ricamente bordados de pérolas, madrepérolas e pedrarias. Dividido em três famílias, os modelos variam meio que sobre o mesmo tema em nude, preto e off-white.

Tome caudas vaporosas, cheias de movimento, babados soltos arrematando partes de cima mais estruturadas, por vezes corseletadas, onde impera o excesso. Cinturas deslocadas, em decote império, alimentam o clima de conto de fadas.

Alguns curtos se intrometem, com barra volumosa de frufrus de tule (haja tecido!). Franzidos, repuxados e aplicações intermináveis mostram poder e, apesar da decoração máxima, conseguem manter-se do lado de cá da fronteira entre o precioso e o over.

Ponto para Samuel, que acerta também ao limpar a beleza de suas meninas, optando por make e cabelos (quase) nada para balancear o barroquismo dos vestidos.

O melhor look: o vestido preto com body todinho bordado de madrepérolas e saia esvoaçante

Direção de arte: a delicada reconstituição de jardim encantado merece destaque.