Busca Home Bazaar Brasil

“Sempre segui minha paixão e me mantive fiel”, diz Esteban Cortazar

Designer colombiano foi uma das estrelas do Latin America Fashion Summit, que aconteceu no México

by redação bazaar
Desfile de verão 2019 de Esteban Cortazar em Paris - Foto: Getty Images

Desfile de verão 2019 de Esteban Cortazar em Paris – Foto: Getty Images

Por Duda Maia

A Riviera Maia, no México, foi palco do primeiro Latin America Fashion Summit, evento que reuniu cerca de 300 pessoas em torno de conhecimento e networking visando o empoderamento de designers do continente. Um encontro de moda que incluiu painéis, workshops e sessões de auto-conhecimento com figuras influentes do setor, para fornecer conteúdo e ferramentas que ajudam designers e empreendedores emergentes e estabelecidos a desenvolver sua marca com força e impacto social.

Criado por Estefania Lacayo e Samantha Tams, o evento reuniu nomes estabelecidos da indústria e designers emergentes. “Acreditamos na importância de unir todas as regiões da América Latina em uma única plataforma e empoderarmos uns aos outros. Cada região pode ter uma boa plataforma, mas, se encontrarmos maneiras de nos unir, de colaborar, de aprender uns com os outros, o barulho no cenário internacional é maior”, diz Estefania.

Além proporcionar um aprendizado horizontal, a iniciativa ainda ofereceu aos designers presentes a possibilidade de uma apresentação para uma banca de jurados, que escolheu, entre os 80 designers inscritos, um projeto para apoio com diversos prêmios, como US$ 10 mil para reinvestir em sua criação e participar de um programa para acelerar negócios no Instituto Marangoni. A vencedora foi a designer colombiana Kika Vargas.

Estavam presentes nomes de peso como Esteban Cortazar; Daniela Villegas; Monica Sordo; Paula Mendoza; a supermodel Eugenia Silva; Daniel Funis, gerente Fartfetch para a América Latina; Hakan Baykam, presidente da Marangoni Institute of Miami; Mario Rodriguez Graniel, diretor de gerenciamento de relacionamento com o cliente para Prada e Miu Miu; Carrie Sommers, criadora do Fashion Revolution; e Lisa Smilor, vice-presidente executivo do CFDA, entre outros. Os presentes discutiram temas como o futuro do varejo, impacto social e sustentabilidade e social media, entro outros temas, sob um olhar de desenhar e orientar os designers presentes para desenharem um caminho de sucesso.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Esteban Cortarzar, designer colombiano que ganhou o mundo se tornando designer da Ungaro aos 23 anos, teve um dos painéis mais comentados. Sua trajetória de sucesso inspira toda uma legião de novos designers. Para Esteban, o mercado não precisa de mais um produto, mas, sim, de criatividade e originalidade, de novos olhares. O designer atribui seu sucesso a uma constância em sua criação: fidelidade ao seu DNA. “ Sempre segui minha paixão e me mantive fiel a isso em todas as minhas escolhas. Foi um longo caminho para saber aplicá-las da maneira correta e entender que estava no caminho certo. Disciplina, conhecimento e foco aprendidos em todo o caminho foram essenciais para fazer com que meu DNA sobressaísse”, conta Esteban.

Nomes como Fabrício Cardenas, com 10 anos de experiência no varejo, foi buyer da tradicional Bergdoff Goodman e acaba de ser anunciado como o mais novo responsável pelo time de compradores para marcas de luxo no Net-a-Porter; Sarah Easley, fundadora da badalada multimarcas Kirna Zabete, em Nova York; Cassie Smart diretora de compras do feminino do Matches Fashion endossaram o discurso de Cortazar sobre a importância da criatividade e autenticidade para novas marcas em busca de um destaque no cenário mundial.

O Brasil também teve sua representante no evento. Bruna Seve Patko, designer da marca Lokalwear, foi ao evento com intuito de entender um pouco mais sobre a transição do mercado latino-americano para o internacional. “A diversidade e criatividade da América latina ficou muito em evidência. O cuidado na seleção dos convidados e participantes, uma combinação entre criativos, mídia e pessoas do business da moda, trouxeram um ambiente super propicio que gerou muita troca de experiência e networking, pontos muito necessários para o crescimento de um negócio”, contou.

Os planos para o próximo LAFS já estão a todo o vapor. Para Samantha e Estefania, a iniciativa deve se tornar em breve uma instituição de fomento de negócios para marcas latino-americanas e acrescentam “queremos levar o evento ao Brasil, e trazer mais nomes desse país tão representativo no continente para trocar experiências no LAFS”, diz Estefania.