Looks da coleção de estreia de sua marca: as roupas pós-praia são feitas de seda, e os biquínis têm modelagem maior e mais confortável - Foto: Reprodução/Harper's Bazaar

Sinesia Karol é uma mulher multicultural: nascida em Vitória, no Espírito Santo, é brasileira de nome grego e cidadania americana. Há mais de 20 anos mora em Boston, onde se casou com o empresário Willian Karol (top businessman dono da empresa investidora Koda). Foi em território americano, em junho deste ano, que ela lançou sua marca homônima de beachwear.

O sucesso foi imediato: depois da primeira apresentação em Nova York, no exclusivo Soho House, com direito a pedidos das buyers da Saks e da Bergdorf Goodman, Sinesia desfilou na Miami Swim Fashion Week e, desde dezembro, suas peças estão nas araras da multimarcas Gaoli, na Galeria Fórum Ipanema, no Rio de Janeiro.

“Minha ideia era, primeiro, trabalhar a marca nos Estados Unidos e só em um ou dois anos vir para o Brasil. Mas aconteceu tudo rápido e estou muito feliz”, diz. O processo para a criação da grife foi longo. “Só usava Missoni ou Pucci e pensei que podia fazer algo também elegante para uma cliente especial”, diz. “Via minhas amigas, que buscavam sofisticação e conforto para andar nas ruas de St. Tropez, mas também para brincar com as crianças na praia.”

Foram cerca de três anos de pesquisa. O resultado é a mistura de suas duas raízes: as estampas de orquídeas, outra de suas paixões, foram desenhadas pela artista conterrânea Ana Paula Castro, e as peças são todas Made in Brasil. Por outro lado, a modelagem é maior, mais confortável, e as roupas pós-praia são elegantes, com modelagem precisa e quase sempre feitas de seda.

Para o futuro, ela reserva a vontade de criar uma marca teen, com nome e proposta diferentes. Quem sabe, feita com sua filha mais velha, Alexandra (22), que, segundo ela, tem ótimo olhar fashion.

Assine a Harper’s Bazaar