O estilista Jonathan Anderson e na direita o verão 2015 masculino da Loewe - Foto: divulgação
O estilista Jonathan Anderson e na direita o verão 2015 masculino da Loewe – Foto: divulgação

 

Por Luigi Torre

LoeweJonathan Anderson: quando a LVMH investiu na marca de Jonathan Anderson, também nomeou o estilista como diretor de criação da Loewe. No début para a marca espanhola, a coleção, no caso, é masculina, mas perfeitamente usável por mulheres pelas formas e proporções afastadas do corpo. O couro, material-chave da Loewe, aparece leve em camisas, jaquetas e na reedição de modelos clássicos de bolsas. O grande destaque, porém, está no frescor jovem e nas ótimas ofertas de básicos atualizados. E Bazaar já aposta no sucesso da coleção feminina, a ser apresentada em setembro.

O estilista Pablo Coppola e dois looks do inverno 2015 da Bally  - Foto:divulgação
O estilista Pablo Coppola e dois looks do inverno 2015 da Bally – Foto:divulgação

Bally Pablo Coppola: ao assumir o posto de diretor de design da Bally, este ano, o principal desafio do argentino Pablo Coppola era trazer a marca de 163 anos para o presente e criar roupas e acessórios para uma mulher forte e moderna. Missão cumprida. Para o inverno 2015, os acessórios, carros-chefe da grife, recebem abordagem precisa e simples, livres dos arremates ostensivos de outrora. O foco de Coppola agora é na construção. E também no ready-to-wear. Segundo o próprio estilista, a ideia é apresentar uma imagem de limpeza, para preparar a marca e seus consumidores para uma nova fase na Bally.

O estilista David Koma e à direita um look do resort 2015 da Mugler - Foto:divulgação
O estilista David Koma e à direita um look do resort 2015 da Mugler – Foto:divulgação

MuglerDavid Koma: Com vestidos esculturais, sexy e superfemininos – características similares às de Thierry Mugler –, o estilista se tornou uma das estrelas da semana de moda de Londres. Nada presa aos arquivos, sua primeira coleção para a maison, a de resort 2015, foi criada baseada em instintos sobre a nova mulher da marca. Os pilares de elegância, poder e sensualidade são agora atualizados: saem os ombros supermarcados e a teatralidade, que definiram os anos 1990 da grife, e entram a alfaiataria precisa, calças fluidas e vestidos colados ao corpo, com faixas elásticas.

O estilista Vitorino Campos - Foto:divulgação
O estilista Vitorino Campos – Foto:divulgação

AnimaleVitorino Campos: Essa é a primeira vez em que Vitorino irá criar para uma marca que não a sua própria – a qual mantém em paralelo. Vitorino substitui a estilista Priscilla Darolt, que, em maio, trocou a Animale pela Sacada.  Autor de uma imagem minimalista nada usual, o estilista baiano mantém forte sintonia com movimentos da moda global, se mostrando estratégico para essa fase de internacionalização da marca. Sua coleção de estreia será a de inverno 2015, marcada para a próxima edição do SPFW, em novembro. Mas sua missão na Animale vai além da passarela, o estilista irá trabalhar para diminuir a disparidade entre o que se vê no desfile e o que se encontra nas lojas. “O que faço na minha marca – e o que chamou a atenção deles – é a associação entre desfile e comercial, um complementa o outro.”

Assine a Harper’s Bazaar