SPFW: veja o resumo do primeiro dia da 51ª edição do evento
Foto: Divulgação

Por Rodrigo Yaegashi e Marcela Palhão, com colaboração de Evelyn Gross e Larissa Romano

Nesta quarta-feira (23/06), foi dado início à 51ª edição do São Paulo Fashion Week. Com um dia marcado pela influência da cultura, crenças, ritos e os hábitos que nos mantém conectados à realidade, à nós mesmos e ao cotidiano.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Oito marcas deram start ao evento que promete movimentar a internet nos próximos dias. Veja abaixo um resumo de cada apresentação:

Ronaldo Fraga

“Terra de Gigantes” intitula o desfile de Ronaldo Fraga, abrindo o SPFW N51, que se mantém no formato digital pela segunda vez, devido à pandemia. Poético e político como sempre, essa nova coleção parte das raízes e ancestralidades nordestinas do povo Cariri, que une a devoção ao padre Cícero, a aridez da terra batida e a manufatura artesã tradicional da região de Juazeiro do Norte. Conheça melhor a coleção.

Aluf

Onde está a beleza no cotidiano? Ana Luisa Fernandes, paraense, fundadora e diretora criativa da Aluf busca essa resposta de forma íntima, antes mesmo de termos de nos isolar. Esse desejo fez com que o processo criativo para a coleção não ficasse apenas interiorizado nos desejos da designer.

A ausência de troca interpessoal in live levou ao uso da tecnologia na busca das respostas de seu público fiel para a mesma pergunta. Esse compilado resultou no vídeo falado, de forma poética e emotiva, e, claro, traduzido nas peças que acolhem o corpo em silhuetas que buscam o conforto. Está nos detalhes de cada prega, plissado e pontos de tricô a busca pelo belo, na cartela de tons areia e crus com pitadas de verde menta e vinhos. Tudo amarrado pelos acessórios e fechos em madeira e dos sapatos em parceria com a Manolita.

Ateliê Mão de Mãe (Projeto Sankofa)

Chamada “Ressignificação”, a coleção de Ateliê Mão de Mãe, que integra o Projeto Sankofa – idealizado pelo coletivo Pretos na Moda e pela startup de inovação social VAMO com objetivo de racializar a moda brasileira, tem inspiração nas raízes afro-brasileiras de seus fundadores, Patrick Fortuna e Vinicius Santana, e suas vivências com o Candomblé. Crochê, búzios e palha da costa criam peças feitas a mão carregadas de simbologias e histórias.

Meninos Rei (Projeto Sankofa)

A coleção da Meninos Rei, que também estreia no SPFW dentro do Projeto Sankofa, é uma homenagem que seus criadores, Céu Rocha e Júnior Rocha, prestam a Exú. Chamada “L’ojù Esù/Aos olhos de Exù”, a linha se destaca por cores intensas, estampas geométricas e peças agêneros.

Anacê

Criada por Ana Clara Watanabe e Cecília Gromann, a Anacê matou uma grande saudade dos fashionistas brasileiros: o famoso catwalk. Alfaiataria, atemporalidade e silhuetas singulares marcam o DNA da marca e a coleção “Ruta”, nome científico da arruda. Unindo a valorização à rituais e crenças a uma apresentação e detalhes tecnológicos, a label alcança o seu objetivo principal: despertar emoções através da moda.

Samuel Cirnansck

E quem retorna ao line-up do SPFW é a marca Samuel Cirnansck, que decidiu partir do estudo da construção e desconstrução do corset para essa coleção, resultando em uma imagem leve e sexy para os looks noturnos característicos da marca.

Sempre performático, a estreia de Samuel no formato digital trouxe soluções que resgatam o passado do designer no teatro, não é a toa que sua locação é o Teatro FAAP, que, mesmo vazio, ganhou vida com as passadas poderosas e ritmadas das modelos e dos vestidos cristalizados repletos de atitude.

ÀLG

Fábio Souza e Alexandre Herchcovitch, à frente da ÀLG, se unem à Warner Bros. e à nostalgia do filme “Space Jam”, com Michael Jordan, para trazer o streetwear para as quadras de basquete hoje. A junção lúdica dos personagens animados do filme, que, aliás, retornarão às telas no dia 15 de julho, desta vez na companhia do atleta LeBron James, proporcionam uma silhueta ampla de shorts e jaquetões cheios de bolsos, que seguem o DNA utilitário da label.

Meias altas e suportes para bolas amarram a produção, que tem nos moletons e tecidos high-tech esportivos a junção perfeita para usar desde já – aliás 50% da coleção já está disponível no e-commerce da marca.

Lilly Sarti

As irmãs Lilly Sarti e Renata Sarti fecham o primeiro dia de SPFW com uma coleção para a Lilly Sarti que mergulha no universo comum da marca: o esotérico. Peças fáceis, mas com acabamentos complexos, unem o handmade de crochês e bordados à alfaiataria já conhecida e querida das clientes da label.

Comemorando 15 anos no mercado, hits como as calças de punhos nas barras e os babados ultrafemininos amarram a coleção e, sem dúvida, se firmam ainda mais como desejo.